Você já repassou corrente recebida pelo WHATSAPP para seus contatos? Quer conhecer os perigos?

Tenho absoluta certeza que você já recebeu pelo whatsapp ou por e- mail algum tipo de “corrente”.  Você passou para frente como o mandatário solicitou? E as mensagens nas quais em letras garrafais consta a palavra “Bomba”. Você por acaso replicou para seus contatos da internet? Se...

4405

Tenho absoluta certeza que você já recebeu pelo whatsapp ou por e- mail algum tipo de “corrente”.

 Você passou para frente como o mandatário solicitou?

E as mensagens nas quais em letras garrafais consta a palavra “Bomba”.

Você por acaso replicou para seus contatos da internet?

Se respondeu de forma afirmativa, tenho uma péssima notícia: você foi usado para facilitar que hackers disseminassem notícias falsas com alto potencial de prejudicar muita gente .

É comum se receber mensagens religiosas bonitas e sentimentais, que solicitam, ao final, resposta com a palavra “amém” e repasse para os melhores amigos, pois assim algo maravilhoso vai acontecer. Todas essas armadilhas digitais rondam, diariamente, smartphones, tablets e computadores.

Recebo de gente conhecida muitas dessas “correntes” . Na última semana resolvi ligar para algumas delas para saber o motivo que replicam esse tipo de mensagens. A maioria diz que se tornou automático esse tipo de atitude e que ficaram preocupadas quando ventilei sobre o risco de golpe.

Portanto, algumas dicas de segurança são importantes:

a)    Desconfie de mensagens que tragam presentes ou a possibilidade de ganhar alguma coisa, mesmo se o remetente for de produto conhecido no mercado; as grandes empresas não utilizam essa forma de divulgação.

b)   Se o texto começar dizendo “Não querem que você saiba…” ou “Descobrimos a farsa…”, pode ter certeza que é malandragem na certa.

c)    Atenção máxima com notícias sensacionalistas, catastróficas ou com finalidade de denunciar alguma coisa sobre alguém conhecido. A probabilidade de ser informação mentirosa é de 99.9%

d)   Cuidado com informações sobre segurança de remetente que você não conhece e que na verdade não existe mesmo. A principal arapuca fala da famigerada “senha invertida”, que vítimas de sequestro relâmpago deveriam digitar no caixa eletrônica, pois a central da polícia receberia imediato alarme. Isso é inverídico e se alguém usar tal estratégia aumentará o risco de morte, pois o bandido poderá imaginar que quer enganá-lo de alguma forma.

e)    Se receber alguma informação sobre saúde, não repasse adiante antes de consultar na internet a veracidade. A pior delas traz dicas de como salvar quem estiver enfartando. Consultei médico cardiologista que me garantiu que as informações que estavam circulando pioravam ainda mais o quadro clinico, podendo levar a pessoa à morte.

f)     Se desejar confirmar qualquer informação recebida pela internet, copie trecho e cole na pesquisa google. É muito provável que seja redirecionado para os sites boatos.org,  verdadeabsoluta.com e e-farsas.com, que são especialistas em divulgar se tais correntes ou mensagens têm fontes honestas ou se são criminosas.


Dê sua opinião