A arte do desapego emocional e da libertação pessoal

Dos males de que é acometida a vida moderna, particularmente nos grandes centros, um dos mais citados é o estresse. Sendo uma impiedosa verdade, não poderia deixar de apontar a “cobrança pessoal” como uma das principais causas, embora, na maioria das vezes, desmedida. Localizei uma...

432

Dos males de que é acometida a vida moderna, particularmente nos grandes centros, um dos mais citados é o estresse. Sendo uma impiedosa verdade, não poderia deixar de apontar a “cobrança pessoal” como uma das principais causas, embora, na maioria das vezes, desmedida.

Localizei uma oração que se espalhou pela região central do México desde o século VII e que fala de desapego e libertação. A mensagem é deveras profunda e merece reflexão, pois pode propiciar ao leitor condições de se preocupar menos e assim promover o desestresse emocional:

“Eu liberto meus pais do sentimento de que já falharam comigo. Eu liberto meus filhos da necessidade de trazerem orgulho para mim. Que possam escrever seus próprios caminhos de acordo com seus corações, que sussurram o tempo todo em seus ouvidos.

Eu liberto meu parceiro da obrigação de me completar. Não me falta nada, aprendo com todos os seres o tempo todo.

Agradeço aos meus avós e antepassados que se reuniram para que hoje eu respire a vida. Libero-os das falhas do passado e dos desejos que não cumpriram, conscientes de que fizeram o melhor que puderam para resolver suas situações dentro da consciência que tinham naquele momento. Eu os honro, os amos e reconheço inocentes.

Eu me desnudo diante de seus olhos, por isso eles sabem que eu não escondo nem devo nada além de ser fiel a mim mesmo e à minha própria existência, que caminhando com a sabedoria do coração, estou ciente de que cumpro o meu projeto de vida, livre de lealdades familiares invisíveis e visíveis que possam perturbar minha Paz e Felicidade, que são minhas únicas responsabilidades.
Eu renuncio ao papel de salvador, de ser aquele que une ou cumpre as expectativas dos outros. Aprendendo através, e somente através do amor, eu abençoo minha essência, minha maneira de expressar, mesmo que alguém possa não me entender.

Eu entendo a mim mesmo, porque só eu vivi e experimentei minha história; porque me conheço, sei quem sou, o que eu sinto, o que eu faço e por que faço. Me respeito e me aprovo.

Eu honro a Divindade em mim e em você. Somos livres.”

Caro leitor, não importa onde você parou, em qual momento da vida cansou ou estágio que está. Saiba que sempre é tempo de “recomeçar”. E o “re-começo” é dar uma nova chance a si mesmo e renovar as esperanças na vida. E o mais importante: acreditar em você novamente.


Dê sua opinião