Alerta de golpe contra taxistas e motoristas de aplicativos

Quando o motorista menos espera o dinheiro da corrida realizada, pode ir por água abaixo. Preste atenção nesta narrativa e aprenda a evitar prejuízo. Um motorista de aplicativo recebeu chamada para buscar passageira em uma rua central de São Miguel Paulista/SP, por volta das 12h30...

320

Quando o motorista menos espera o dinheiro da corrida realizada, pode ir por água abaixo.

Preste atenção nesta narrativa e aprenda a evitar prejuízo.

Um motorista de aplicativo recebeu chamada para buscar passageira em uma rua central de São Miguel Paulista/SP, por volta das 12h30 da primeira segunda feira do mês de abril/2018. Tratava-se de uma mulher elegantemente vestida, aparentando cerca de 45 anos; seu destino era a região central da cidade de São Paulo. Mas antes a passageira precisou parar em dois endereços para deixar documentos.

O trajeto foi longo, de quase duas horas, pois o trânsito estava intenso. A mulher, sentada no banco traseiro, pouco conversou; não parava de digitar no celular mas pediu por balas e dois copinhos de água mineral. Em dado momento, na Avenida Paulista, próximo ao Masp, ela disse estar atrasadíssima para seu compromisso e que em razão do trânsito congestionado seria melhor ir a pé; assim, solicitou a maquininha de débito.

O motorista rapidamente verificou o valor da corrida no aplicativo do celular, R$ 165,00. Após passar o aparelho para ela, que inseriu o cartão magnético e disse que desceria no meio do trânsito mesmo, pois iria em prédio do outro lado da avenida. Ela digitou rapidamente a senha e devolveu a máquina de débito ao motorista. Mesmo no banco da frente, o condutor ouviu o breve sinal sonoro emitido pelo equipamento, indicativo de transação não completada. Rapidamente, ele travou as portas do carro para a mulher não sair. Ao olhar para o visor da máquina, confirmou que o pagamento não fora efetuado.

A passageira esbravejou mas como não conseguiu abrir a porta, sacou dinheiro da bolsa e pagou pela corrida.

Mais tarde, em um grupo de WhatsApp exclusivo para motoristas de APP, o condutor descobriu que tratava-se de mais um golpe. Portanto, o motorista deve ficar atento e manter a porta do carro travada até certificar-se do pagamento efetuado pelo cliente. Cautela extrema quando o passageiro alegar muita pressa.


Dê sua opinião