Ameaças via telefone contra empresas de Carga

ASSESSORIA DE SEGURANÇA – SETCESP/ FETCESP/ NTC Comunicado: 01/2004 a. Desde Agosto/ 2003, empresas de diferentes segmentos empresariais – dentre as quais, empresas de transporte rodoviário de cargas, particularmente nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro – vêm recebendo ameaças por telefone de...

286

ASSESSORIA DE SEGURANÇA – SETCESP/ FETCESP/ NTC
Comunicado: 01/2004

a. Desde Agosto/ 2003, empresas de diferentes segmentos empresariais – dentre as quais, empresas de transporte rodoviário de cargas, particularmente nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro – vêm recebendo ameaças por telefone de marginais que se dizem integrantes da facção criminosa PCC (nos casos contra empresas paulistas), exigindo dinheiro ou cartões de telefones celulares pré-pagos, num
linguajar “pesado” e intimidatório, ameaçando represálias contra familiares, funcionários ou veículos das empresas em caso dessas exigências não serem atendidas.

b. Nos casos das empresas do TRC Paulista, tão logo foram identificados os primeiros telefonemas como originários do Rio de Janeiro, a Assessoria de Segurança entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública daquele estado (SSP/ RJ), que já detectara o problema contra empresas cariocas. A SSP/RJ nos pediu o maior sigilo possível no trato do assunto porque, com autorização judicial, estava realizando a escuta e rastreamento dos telefonemas, já sabendo que partiam do interior de presídios cariocas, e estava buscando identificar os autores e suas possíveis ligações fora dos presídios.
A partir daí, mantivemos contatos periódicos com a SSP/ RJ, repassando os números de telefones identificados e as contas bancárias onde deveriam ser depositados os valores extorquidos. Mantivemos, também, contato com o DEIC/São Paulo, que está concentrando na 1ª Delegacia/ Divisão de Patrimônio, para as providências policiais decorrentes, os casos registrados na capital paulista.

Evitamos, até o presente momento, qualquer comunicado às empresas do TRC, atendendo ao pedido de sigilo da SSP/ RJ e atendendo e orientando, caso a caso, todas as empresas que nos procuram em busca de auxílio. Agora, com o problema sendo divulgado pela mídia, torna-se oportuno e esclarecedor o presente comunicado circular.

c. Passados cerca de 05 (cinco) meses desde o início do problema, sabe-se hoje o seguinte:

– No Rio de Janeiro e São Paulo, estima-se que mais de 300 (trezentos)
empresas, de diferentes segmentos empresariais, sofreram ameaças.
– Empresas de outros Estados também estão sendo ameaçadas.
– As ameaças vêm se intensificando ultimamente porque há empresas que, num comportamento inadequado, atenderam às exigências dos marginais. Em alguns casos, a ousadia é tamanha que o marginal se identifica e dá o número do telefone para retorno.
– Até o momento, todos os telefones identificados são celulares pré-pagos e tem origem no sistema prisional do Rio de Janeiro, onde não haveria o uso dos “bloqueadores” de celular. Embora as revistas policiais, os marginais continuam ativos.
– O mais importante é que, até o momento, nenhuma ameaça foi
concretizada contra as empresas que deixaram de atender à extorsão!!

Isso permite concluir que a violência dos marginais está mais na açãointimidatória de suas palavras do que na possibilidade real de concretizar lguma ameaça fora do presídio.

d. Em conseqüência do exposto, a Assessoria de Segurança recomenda às empresas do TRC:

1) No caso de receber ameaças, procure identificar (uso de “bina”) o número do telefone origem. Se o pedido for dinheiro, procure estender, com habilidade, a conversa até obter a conta bancária para depósito (pela conta bancária, normalmente de pessoa ligada ao preso, a polícia tem identificado o marginal!).
2) Informe à Assessoria de Segurança os números de telefones e, se for o caso, as contas bancárias indicadas pelos chantagistas.
3) Registre a ocorrência no DP de sua área. Em São Paulo, na Capital, recomendamos registrar a ocorrência na 1ª Delegacia do Patrimônio/ DEIC, à Av. Zaki Narchi, nº 152 – Carandiru – São Paulo/ SP.
4) Em hipótese alguma atenda às exigências dos marginais! Isso só estimulará a prática de novas ameaças!

Uma vez obtidas as informações de interesse (número de telefone e conta bancária), simplesmente deixe de responder às chamadas. Atenda ao chamado do telefone e, identificando que é ameaça, não diga nada e reponha o fone no gancho, tantas vezes quantas forem necessárias. Pelo que se viu até o momento, o marginal deixará de ligar.

Números dos telefones celulares utilizados para chantagem junto às Empresas de Transportes de Cargas de São Paulo:

(21) 8709-9178
(21) 8827-0402
(21) 8156-9306
(21) 9909-4398
(21) 9616-8344
(21) 8872-9100
(21) 9657-2114
(21) 9957-2114
(21) 9995-9453
(21) 9878-9230
(21) 9897-2921
(21) 8128-2475
(21) 8165-6901
(21) 9134-4290
(21) 9295-4325
(22) 9959-9246

Nomes/ alcunhas com os quais os marginais se apresentam:

“Tião”
“Tião Carioca”
“Pierre”
“Marcão”
“Macalé”
“Mazinho”
“Barão”
“Marcelo/ Marcelinho”
“Fábio/ Fabinho”
“Maurício/ Mauricinho”

Cel. Paulo Roberto de Souza
Assessor de Segurança
ASSESSORIA DE SEGURANÇA – SETCESP/ FETCESP/ NTC


Dê sua opinião