Comece fazendo o necessário, depois o que é possível, e de repente, você estará fazendo o impossível

A professora pediu aos seus alunos, que tinham em torno de 8 anos de idade, que criassem uma estorinha que tivesse a participação apenas de animais. Cada um teria que apresentar em voz alta sua narrativa para toda classe. Quando chegou a vez do Paulinho,...

561

A professora pediu aos seus alunos, que tinham em torno de 8 anos de idade, que criassem uma estorinha que tivesse a participação apenas de animais. Cada um teria que apresentar em voz alta sua narrativa para toda classe. Quando chegou a vez do Paulinho, apesar de um pouco acanhado, desandou a falar:

“Uma tartaruga estava sendo perseguida por um enorme e feroz urso. Ele estava tão próximo que ela podia sentir a respiração quente da fera. Quando estava para ser alcançada, viu-se diante de uma grande árvore, que subiu rapidamente e conseguiu escapar do urso faminto, que foi embora à procura de outra presa”.

Todos bateram palmas, mas a professora interrompeu dizendo:

“Paulinho, não gostei da sua estorinha, pois tartarugas não sobem em árvores”.

O garoto pensou um pouco e rebateu:

“Bem…ela não tinha outra coisa a fazer”.

Amigo leitor, podemos tirar uma mensagem poderosa do conto do aluno.

Problemas precisam ser resolvidos, jamais adiados ou deixados de lado. É melhor encetar todo esforço possível e persistir até que a resolução aconteça, pois quando ela surge, nos traz alívio e se torna algo mágico, assim como uma tartaruga conseguir escalar uma árvore.

Deixar para amanhã ou depois não irá fazer o obstáculo mudar de lugar. Ele continuará ali mesmo, ganhando raízes mais profundas. Quando tomamos iniciativa e medidas contínuas, é natural que com o passar dos dias, semanas ou meses, novos caminhos surjam e com isso o incômodo diminui de intensidade até desaparecer por completo ou nos fazer tão fortes que ficamos imunes material e emocionalmente a ele.

Não concordo com o jargão popular que diz “o que não tem remédio, remediado está”.

Quando nos propomos a enfrentar de frente um problema, temos que utilizar todos os remédios e possibilidades ao nosso alcance. Nessa busca resolutiva, pode ter certeza que no mínimo amenizaremos a dor, e isso pode significar uma grande vitória. Sem contar que sempre poderemos enxergar a dificuldade por outro ângulo e encontrar nela uma lição de vida.

O título do presente artigo é do frade católico italiano São Francisco de Assis; a tartaruga que sobe árvore é do Paulinho. E você leitor…qual a transformação que não pode mais adiar?


Dê sua opinião