Decifrando o chassi do veículo

A primeira coisa que verificamos ao comprar um veículo, é pesquisar o número do chassi do carro, que é sua identidade, sua identificação. Várias seguradoras oferecem a “Vacina anti-furto”, que nada mais é do que a gravação do número do chassi do veículo em algumas...

333

A primeira coisa que verificamos ao comprar um veículo, é pesquisar o número do chassi do carro, que é sua identidade, sua identificação. Várias seguradoras oferecem a “Vacina anti-furto”, que nada mais é do que a gravação do número do chassi do veículo em algumas peças do carro, para evitar que estas sejam comercializadas no mercado negro.
Tão importante quanto saber o número do chassi do carro, é descobrir através dele, sua procedência. Decifrando as letras e números, descobrimos a procedência do veículo e sua verdadeira identidade. Ou seja, o local e ano de fabricação, a marca, o modelo e até o seu número dentro da linha de produção. Veja a ilustração:

consumidor05No entanto, para conhecer a identidade de um carro é necessário ter em mãos uma tabela com os significados, por exemplo:

  • região geográfica: 1 (EUA), 3 (México), 8 (América do Sul/Argentina), 9 (América do Sul/Brasil), V (França), W (Alemanha), Z (Itália) etc;
  • fabricante: A (Fiat), D (Fiat nacional), F (Ford), G (GM), R (Toyota), W (VW do Brasil), 1 (Renault francesa), 7 (Chrysler), U (Audi), Y (Renault) etc;
  • ano de fabricação: 1 (2001), 2 (2002), 3 (2003) etc.

Segurança contra fraudes
Para dificultar o trabalho dos mal intencionados, as letras “I”, “O” e “Q” são proibidas na marcação do chassi, já que podem ser facilmente adulteradas. No Brasil, a numeração foi regulamentada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) em 1995, de acordo a ABNT que padronizou a identificação seguindo normas mundiais. A maioria dos carros produzidos antes desse ano já possuía um código de identificação, mas cada montadora fazia sua própria marcação.

Fonte: Revista Quatro Rodas, 2002.


Dê sua opinião