Responda rapidamente: prefere assumir responsabilidades quando as coisas não vão bem ou coloca a culpa em terceiros ou nas circunstâncias?  Observe abaixo colocações muito comuns quanto ao tema: “Meu chefe não reconhece meu potencial”. “Minha esposa não valoriza minha dedicação à família”. “A situação econômica...

163

Responda rapidamente: prefere assumir responsabilidades quando as coisas não vão bem ou coloca a culpa em terceiros ou nas circunstâncias?  Observe abaixo colocações muito comuns quanto ao tema:

“Meu chefe não reconhece meu potencial”.

“Minha esposa não valoriza minha dedicação à família”.

“A situação econômica atual do Brasil me prejudicou demais”.

“Os políticos são culpados por tudo que acontece de ruim”.

Para alguns, parece que é mais fácil transferir responsabilidades aos outros do que assumir. Nossas escolhas direcionam nossos caminhos, e vou logo advertindo que não é boa ideia falar em culpa ou se crucificar pelas escolhas que não tiveram os resultados esperados. Erros e decisões equivocadas ou mal planejadas fazem parte da vida; quando as superamos, a tendência é rir delas.

O livre arbítrio nos mostra que se não estamos satisfeitos com os resultados alcançados, basta redirecionar as atitudes que, consequentemente, a rota será alterada e novos resultados virão; bons ou ruins. Diante deste preâmbulo, a palavra chave é autoresponsabilidade. Assim, vou mostrar as 6 leis que a regem:

  1. a) Se é para criticar os outros, cale-se
  2. b) Ao invés de reclamar, oferte sugestão
  3. c) Se é para apontar culpados, prefira buscar solução
  4. d) Se é para se fazer de vítima, faça-se de vencedor
  5. e) Ao invés de justificar seus erros, aprenda com eles para não repeti-los nunca mais.
  6. f) Se é para julgar as pessoas, julgue as suas atitudes.

Na vida, as coisas só mudam se mudarmos e não resolvem os pensamentos limitantes e paralisantes tais como:

“Eu vou fazer isso quando acontecer aquilo”

“Eu só posso agir dessa forma, se…”

O escritor Gean Nascimento coloca os “pingos nos is” :

“O indivíduo que reclama a maioria do tempo, seja por qualquer motivo, demonstra um sinal inequívoco de que ainda não reconheceu sua responsabilidade frente aos acontecimentos. Somente através do  reconhecimento e abandono de hábitos que a pessoa passa a ser o gestor de sua própria existência! Você está onde se coloca, o fato é que estamos a todo tempo mudando, não conseguimos nos fixar em nada porque a vida é um processo dinâmico, de um jeito ou de outro, nós temos a vida que merecemos! O que você tem plantado através de palavras, gestos e ações, serão os resultados que você colherá, por mais duro que seja. Lembre-se que toda reclamação é falta de identificação de ser o criador de sua própria obra”.

E para finalizar, lembre-se que a mudança é sempre passível, mesmo se for na forma de encarar um problema de difícil resolução.


Dê sua opinião


A professora pediu aos seus alunos, que tinham em torno de 8 anos de idade, que criassem uma estorinha que tivesse a participação apenas de animais. Cada um teria que apresentar em voz alta sua narrativa para toda classe. Quando chegou a vez do Paulinho,...

12

A professora pediu aos seus alunos, que tinham em torno de 8 anos de idade, que criassem uma estorinha que tivesse a participação apenas de animais. Cada um teria que apresentar em voz alta sua narrativa para toda classe. Quando chegou a vez do Paulinho, apesar de um pouco acanhado, desandou a falar:

“Uma tartaruga estava sendo perseguida por um enorme e feroz urso. Ele estava tão próximo que ela podia sentir a respiração quente da fera. Quando estava para ser alcançada, viu-se diante de uma grande árvore, que subiu rapidamente e conseguiu escapar do urso faminto, que foi embora à procura de outra presa”.

Todos bateram palmas, mas a professora interrompeu dizendo:

“Paulinho, não gostei da sua estorinha, pois tartarugas não sobem em árvores”.

O garoto pensou um pouco e rebateu:

“Bem…ela não tinha outra coisa a fazer”.

Amigo leitor, podemos tirar uma mensagem poderosa do conto do aluno.

Problemas precisam ser resolvidos, jamais adiados ou deixados de lado. É melhor encetar todo esforço possível e persistir até que a resolução aconteça, pois quando ela surge, nos traz alívio e se torna algo mágico, assim como uma tartaruga conseguir escalar uma árvore.

Deixar para amanhã ou depois não irá fazer o obstáculo mudar de lugar. Ele continuará ali mesmo, ganhando raízes mais profundas. Quando tomamos iniciativa e medidas contínuas, é natural que com o passar dos dias, semanas ou meses, novos caminhos surjam e com isso o incômodo diminui de intensidade até desaparecer por completo ou nos fazer tão fortes que ficamos imunes material e emocionalmente a ele.

Não concordo com o jargão popular que diz “o que não tem remédio, remediado está”.

Quando nos propomos a enfrentar de frente um problema, temos que utilizar todos os remédios e possibilidades ao nosso alcance. Nessa busca resolutiva, pode ter certeza que no mínimo amenizaremos a dor, e isso pode significar uma grande vitória. Sem contar que sempre poderemos enxergar a dificuldade por outro ângulo e encontrar nela uma lição de vida.

O título do presente artigo é do frade católico italiano São Francisco de Assis; a tartaruga que sobe árvore é do Paulinho. E você leitor…qual a transformação que não pode mais adiar?


Dê sua opinião


Uma das coisas que mais chateiam quem é habilitado, é receber pelo correio aquele envelope com o emblema do Detran de seu Estado. O condutor já começa a pensar no risco de ter a carteira de habilitação suspensa em razão do excesso de pontos. Imediatamente surge...

495

Uma das coisas que mais chateiam quem é habilitado, é receber pelo correio aquele envelope com o emblema do Detran de seu Estado. O condutor já começa a pensar no risco de ter a carteira de habilitação suspensa em razão do excesso de pontos. Imediatamente surge a curiosidade de saber o local onde praticou a infração e qual artigo do código nacional de trânsito infringiu.

O intuito desta matéria é alertar os leitores de mais um golpe que se espalhou pelo Brasil com a intenção de surrupiar dinheiro dos motoristas.

QUAL É O MODUS OPERANDI DOS ESTELIONATÁRIOS?

A arapuca é engenhosa!

O marginal fica próximo de algum radar que mede a velocidade dos veículos, preferencialmente de algum que esteja meio escondido por galhos de árvore.

O próximo passo é tirar fotografias das placas dos carros que passem pelo local como se fossem produzidas pelos equipamentos instalados pelo departamento de trânsito.

Após algumas horas, o criminoso tem registrado no aparelho celular centenas de veículos com as respectivas placas.

Com esses dados e a ajuda de despachantes com índole criminosa, descobre os endereços e nomes dos proprietários dos carros.

Em seguida, usando computador e uma impressora laser para fazer montagem, cria fakes idênticas a multas originais emitidas pelo Detran, mas o endereço bancário para recebimento é de uma conta aberta com documentos falsos ou em nome de um “laranja”.

Ao receber a multa falsa pelo correio, a tendência é o proprietário do carro verificar a data e o local indicado na infração. O condutor, provavelmente, irá se lembrar que realmente passou pela localidade, e se for conferir o numeral, irá encontrar um radar. Assim, se convencerá que realmente trafegou um pouco acima do permitido.

Tive acesso a uma multa fake que mostrava que a velocidade permitida na via era 50 Km/h e que o motorista teria sido flagrado pelo equipamento a 54 km/h.

Para tornar o golpe quase perfeito, a foto retirada na rua pelo malandro é inserida na multa, o que gera credibilidade e induz a vítima a erro.

MAS LORDELLO, COMO POSSO SABER SE A MULTA QUE RECEBO EM CASA É VERDADEIRA OU TRATA-SE DE GOLPE?

É muito simples!

Entre no site do Detran de seu Estado e procure o local para consultar infrações do veículo. Será solicitado a digitação do número do Renavan, que consta no cabeçalho do documento do veículo.

A multa terá  que constar no portal do Detran. Confira data, local, hora e tipo de infração.

Se os dados forem totalmente diversos ou se não tiver nenhuma multa pendente, a tal multa que chegou em sua casa nada mais é que uma trapaça visando levar seu suado dinheiro, portanto, não a leve em consideração. O ideal é registrar Boletim de Ocorrência para que a polícia tente localizar, através de investigação, a quadrilha de estelionatários.

De qualquer forma, gostaria de fornecer ainda mais uma dica de segurança valiosa.

Ao pagar um boleto, multa ou qualquer tipo de conta, verifique no caixa eletrônico qual conta vai cair o depósito do dinheiro. Nos golpes, a conta lançada para receber estará, na maioria das vezes, em nome de pessoa física e não da empresa ou órgão público com o qual você tem alguma ligação.

Portanto, essa simples conferência o livra de cair nas chamadas “armadilhas urbanas” .

Para finalizar, lembre-se que a pressa é a maior inimiga da segurança. É prudente, mesmo que perca alguns segundos ou preciosos minutinhos, sempre conferir dados dos pagamentos que for realizar.

Tenha em mente que o prejuízo gerado pelos estelionatários é muito maior que o produzido por assaltantes nas ruas.


Dê sua opinião


Recentemente, postei no meu instagram @jorgelordellooficial vídeo de  de uma mulher, aparentando cerca de 30 anos, sendo assaltada no bairro Serra, região Centro-Sul de Belo Horizonte, no dia 21.06.2018. O episódio serve de alerta para muita gente. Como foi o crime? Exatamente às 07h38m39s, a...

916

Recentemente, postei no meu instagram @jorgelordellooficial vídeo de  de uma mulher, aparentando cerca de 30 anos, sendo assaltada no bairro Serra, região Centro-Sul de Belo Horizonte, no dia 21.06.2018. O episódio serve de alerta para muita gente.

Como foi o crime?

Exatamente às 07h38m39s, a moradora, puxando uma mala de viagem com rodinhas, passa pela portaria recuada do prédio onde reside. Continua andando por corredor até que chega próxima do portão de entrada às 07h38m47s. É importante esclarecer, que durante esse trajeto de 8 segundos ela já estava olhando atentamente seu smartphone pois havia solicitado carro por aplicativo.

A mulher fica apenas 6 segundos parada olhando para o celular e resolve sair do prédio.

Já na calçada, permanece ao lado da bagagem por 21 segundos sem tirar os olhos do celular, até o momento em que uma moto com garupa para bem perto. Rapidamente, um jovem que estava como passageiro e usando capacete, desce da motocicleta e corre em direção da vítima anunciando o assalto.

O ladrão esboça movimento que estaria armado, mesmo assim ela tenta resistir segurando seus pertences próximos ao corpo. O marginal não deixou por menos, a empurrou e subtraiu a mala de viagem, que continha, além de roupas, um iPad, como também os documentos pessoais, cartões magnéticos, molho de chaves e o celular.

O assalto foi relâmpago, durou exatamente 8 segundos.

A dor de cabeça para a vítima foi grande por várias razões:

-Perdeu seu compromisso de trabalho;

-Teve que se deslocar até a delegacia mais próxima para registrar Boletim de Ocorrência;

-Bloquear o uso do aparelho celular e cartões de crédito e de banco;

-Perda de dados importantes contidos no tablete e smartphone, se eventualmente não salvou informações na nuvem;

-Providenciar novos documentos, bem como cartões magnéticos;

-Comprar e habilitar novo celular;

-Risco de adquirir síndrome do pânico e estresse pós traumático.

Crime de Oportunidade

É importante o leitor fazer a seguinte reflexão:

Os bandidos não conheciam a vítima e sequer poderiam imaginar que ela deixaria o condomínio naquele horário.

Na verdade, estavam trafegando pelas ruas daquela região em busca da chamada “vítima-ideal”, ou seja, alguém em posição vulnerável no que tange a segurança pessoal, o que facilita o oficio criminoso dos bandidos.

Um antigo provérbio português diz que:

“A oportunidade faz o ladrão”.

Já o escritor Machado de Assis resolveu mexer nesse jargão popular da seguinte forma:

“A ocasião não faz o ladrão, faz o roubo. O ladrão já nasce feito”.

O delito acontece quando um criminoso e uma vítima em potencial convergem no mesmo tempo e lugar.

Teoria do Triângulo do Crime

Para a ocorrência de um ato criminoso são necessários 3 elementos:

1) Indivíduo Motivado a infringir a lei penal

2) Técnica ou Planejamento, que será desenvolvido pelo bandido durante a empreitada criminosa

3) Oportunidade, ou seja, situação favorável para que o crime seja efetivado com menor potencial de risco de o autor ser preso ou morto

A convergência dos três fatores acima é fundamental para o sucesso da vontade delitiva do marginal.

Vamos voltar para a análise do assalto, que foi gravado pelas câmeras de segurança do prédio.

A vítima poderia ter evitado o roubo?

Claro que sim, bastava ter permanecido dentro do prédio enquanto esperava o carro solicitado via aplicativo.

Às 07h39m16 os ladrões passaram pela rua. Se ela estivesse dentro do prédio, com absoluta certeza, não a teriam visto e assim o “Triangulo do Crime” não teria se fechado. No momento em que a mulher abriu a porta do edifício e se posicionou na calçada, gerou a “oportunidade” que os criminosos buscavam.

ROTEIRO SEGURO PARA CHAMAR CARRO VIA APP

-Abra o APP para solicitar carro no interior de local seguro. Se estiver na rua e precisar do transporte, busque comércio na região para entrar e realizar o chamamento;

-Decore dados importantes informados pelo aplicativo em relação ao carro que irá lhe atender, tais como:

  1. a) Modelo
  2. b) Placa
  3. c) Nome do motorista
  4. d) Observe o tempo estimado de chegada

-Permaneça protegido, jamais espere na rua, muito menos segurando o aparelho. Mesmo com o celular no bolso, uma pessoa parada na rua é considerada alvo pelos bandidos. Portanto, não oferte a “oportunidade” que tanto eles desejam;

-Evite fazer ou atender ligações nesse período curto enquanto espera a chegada do carro, bem como não fique vendo ou mandando mensagens pois sua atenção será desviada do foco principal, que é entrar no transporte com total segurança;

-Mantenha o celular no bolso e aguarde o aviso sonoro emitido pelo aplicativo indicando que o carro está chegando;

-Observe através de janela ou porta o momento exato que o carro estacionar;

-Antes de sair do local onde você estiver, olhe para ambos os lados e observe se existe algum tipo de risco ou suspeita. Se pressentir qualquer perigo, não saia antes de ter a certeza que está seguro;

-Após fazer a focalização de segurança, saia do lugar onde estiver e caminhe rapidamente em direção ao veículo chamado, mas antes confira a placa;

-Antes de entrar no veículo, pergunte o nome do motorista. Se o nome ofertado não for o mesmo que o anotado no aplicativo, não faça nenhuma argumentação, apenas deixe o local e encerre a corrida;

-Se perceber que existe passageiro no automóvel e você não solicitou corrida compartilhada, afaste-se do auto;

-Se o motorista ofertou o mesmo nome constante no aplicativo, aconselho adentrar ao auto e sentar no banco traseiro;

-Principalmente para as passageiras mulheres, evitem, mesmo que por educação ou distração, puxar conversa com o motorista; ele pode entender de forma diferente. Jamais fale de sua vida profissional ou pessoal para estranhos. Lembre-se que falar “menos é mais”;

-Se o motorista alterar o caminho indicado pelo aplicativo, peça para que siga exatamente o apontado no celular;

-Se tiver alguma suspeita ou preocupação, solicite que o motorista adentre em comércio mais próximo, como posto de gasolina, loja ou padaria, desça do carro e cancele a viagem quando estiver em segurança;

-Jamais discuta com o motorista, principalmente com o auto em movimento. Lembre-se que o condutor é uma pessoa completamente desconhecida que você não sabe sobre a personalidade. Não é interessante para sua segurança um embate verbal;

-Na hora de deixar o veículo, verifique se não está esquecendo nada.

CONCLUSÃO:

O intuito deste artigo é mostrar ao leitor que crimes podem ser evitados e que o melhor caminho é a prevenção.

Faça a sua parte buscando sempre a atitude mais segura.

Lembre-se que segurança é uma capa invisível que nos protege da criminalidade.


Dê sua opinião


O jabuti foi admitido como professor na área de estratégia de negócios, mas sua admissão foi contestada em razão de seus movimentos lentos e ninguém o enxergava como estrategista. Logo na primeira aula o avestruz resolveu provocá-lo: “Mestre, se um produto é lançado no mercado...

222

O jabuti foi admitido como professor na área de estratégia de negócios, mas sua admissão foi contestada em razão de seus movimentos lentos e ninguém o enxergava como estrategista.

Logo na primeira aula o avestruz resolveu provocá-lo:

“Mestre, se um produto é lançado no mercado e rejeitado pelo consumidor, qual atitude que o estrategista deve tomar?”

A resposta foi simples:

“Humildade. Se existe convicção sobre sua qualidade, convém insistir, analisando-se as prováveis causas da rejeição e reformulando a estratégia. A aceitação é uma questão de tempo”.

Em continuidade às provocações, um pequeno grupo no fundo da sala solta risadas estridentes, numa rodada de piadas. O jabuti discretamente aproximou-se do grupo e sentenciou para todos ouvirem:

“Paciência. É preciso muita paciência para realizar uma missão transformadora”. Com isso desconcertou os provocadores e retornou a aula”.

Maliciosamente, a raposa perguntou:

“Quando o ambiente é hostil e nos sentimos indesejáveis, é válido sermos humildes e pacientes? Não estaremos agravando a situação?”.

O professor refletiu e disse:

“Caro aluno, Esperança é a palavra de ordem. Desistir é aceitar o fracasso, inadmissível para quem tem uma missão a cumprir e acredita nela. Com esperança tudo se resolve!”.

Os meses se passaram rapidamente e o ano letivo terminou. Por todo o campus da universidade, viam-se cartazes coloridos, com o retrato do jabuti e os dizeres:

“Humildade. Paciência. Esperança. Jabuti para Reitor!”.

Amigo leitor, não importa divulgar o resultado da votação entre os alunos, o que realmente importa é que o professor cumpriu sua missão com sabedoria.

Confúcio, pensador e filósofo chinês certa vez disse:

“Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha”.

O poeta alemão Charles Bukowski  viveu e morreu nos Estados Unidos no século passado e se tornou um escritor popular na América. Em um de seus livros deixou o seguinte ensinamento:

“As pessoas que resolviam as coisas em geral tinham muita persistência e um pouco de sorte. Se a gente persistisse o bastante, a sorte em geral chegava. Mas a maioria das pessoas não podia esperar a sorte, por isso desistia”.

Fica a lição!


Dê sua opinião


Dos males de que é acometida a vida moderna, particularmente nos grandes centros, um dos mais citados é o estresse. Sendo uma impiedosa verdade, não poderia deixar de apontar a “cobrança pessoal” como uma das principais causas, embora, na maioria das vezes, desmedida. Localizei uma...

424

Dos males de que é acometida a vida moderna, particularmente nos grandes centros, um dos mais citados é o estresse. Sendo uma impiedosa verdade, não poderia deixar de apontar a “cobrança pessoal” como uma das principais causas, embora, na maioria das vezes, desmedida.

Localizei uma oração que se espalhou pela região central do México desde o século VII e que fala de desapego e libertação. A mensagem é deveras profunda e merece reflexão, pois pode propiciar ao leitor condições de se preocupar menos e assim promover o desestresse emocional:

“Eu liberto meus pais do sentimento de que já falharam comigo. Eu liberto meus filhos da necessidade de trazerem orgulho para mim. Que possam escrever seus próprios caminhos de acordo com seus corações, que sussurram o tempo todo em seus ouvidos.

Eu liberto meu parceiro da obrigação de me completar. Não me falta nada, aprendo com todos os seres o tempo todo.

Agradeço aos meus avós e antepassados que se reuniram para que hoje eu respire a vida. Libero-os das falhas do passado e dos desejos que não cumpriram, conscientes de que fizeram o melhor que puderam para resolver suas situações dentro da consciência que tinham naquele momento. Eu os honro, os amos e reconheço inocentes.

Eu me desnudo diante de seus olhos, por isso eles sabem que eu não escondo nem devo nada além de ser fiel a mim mesmo e à minha própria existência, que caminhando com a sabedoria do coração, estou ciente de que cumpro o meu projeto de vida, livre de lealdades familiares invisíveis e visíveis que possam perturbar minha Paz e Felicidade, que são minhas únicas responsabilidades.
Eu renuncio ao papel de salvador, de ser aquele que une ou cumpre as expectativas dos outros. Aprendendo através, e somente através do amor, eu abençoo minha essência, minha maneira de expressar, mesmo que alguém possa não me entender.

Eu entendo a mim mesmo, porque só eu vivi e experimentei minha história; porque me conheço, sei quem sou, o que eu sinto, o que eu faço e por que faço. Me respeito e me aprovo.

Eu honro a Divindade em mim e em você. Somos livres.”

Caro leitor, não importa onde você parou, em qual momento da vida cansou ou estágio que está. Saiba que sempre é tempo de “recomeçar”. E o “re-começo” é dar uma nova chance a si mesmo e renovar as esperanças na vida. E o mais importante: acreditar em você novamente.


Dê sua opinião


Durante o primeiro jogo do Brasil na Copa da Rússia passei a receber algumas fotos e vídeos de profissionais de saúde, via grupos de WhatsApp, que estariam de plantão e mostravam-se indignados com a falta de pacientes. Um deles escreveu: “Muito curioso, ninguém fica doente...

494

Durante o primeiro jogo do Brasil na Copa da Rússia passei a receber algumas fotos e vídeos de profissionais de saúde, via grupos de WhatsApp, que estariam de plantão e mostravam-se indignados com a falta de pacientes. Um deles escreveu:

“Muito curioso, ninguém fica doente ou passa mal em dia de folia nacional”.

Num primeiro momento pensei que era brincadeira, mas como as imagens de pronto socorros vazios não paravam de chegar, resolvi postar em minhas redes sociais para saber, através do comentários, a opinião dos seguidores.

Recebi enxurrada de postagens de internautas concordando ou não com o ocorrido e assim passo a exibir algumas para reflexão do leitor:

Giane Costa  Trabalhei por muitos anos em hospital(particular) e na hora de jogo de copa não aparecia ninguém procurando atendimento. Após o jogo aí sim, brotava paciente. Vai entender!

Clea Gama É bem assim mesmo. Meu marido tava com febre ontem e só foi pra o hospital depois que terminou o jogo. Na hora que chegamos no hospital não tinha nenhum paciente só tinha os médicos e as enfermeiras, depois começou a encher e era hospital particular!😂

Luís Fernando – Já dei muito plantão em jogo de copa e acontece exatamente isso… Falo só uma coisa pra quem não está acreditando: Vá em um pronto socorro de qualquer hospital do SUS durante o próximo jogo e confira… Vcs vão ver, não aparece ninguém… Estou falando de pronto socorro… Pq posto de saúde e outros serviços que não atendem emergência fecham mesmo, como praticamente todo o resto do país…

Katia Regina – O pior q o hospital hj estava aberto, pq na hora q estava passando o jogo eu estava lá e os médicos Estavam trabalhando, só q não tinha doente, mas depois q acabou o jogo parecia uma rebelião de tanta gente

Elisangela Vicente – Mostra o lado de fora…..será q as portas estavam abertas?…..pq na UPA de Santos, foi filmado, as portas fechadas e o povo todo do lado de fora esperando o jogo acabar….precisa ver nehhh

Helena Vioto – Vendo por outro lado talvez seja porque quando estamos felizes as dores saram. Será???? Os profissionais da saúde podem responder.

Jair Barreto  – Na verdade, eu aprendi com médico. Doente é aquele que chega carregado ou desmaiado. Quem procura medico, rindo, brincando e beijando acompanhante, me desculpe essa pessoa, não precisa cuidados médicos. Quer apenas atestado para faltar no trabalho.

Monica Adriana Pedro – Como chegar no Hospital sem ônibus kkkkk

Leonardo Lopes  – Simplesmente é porque os senhores doutores fecharam para assistir o jogo óbvio!!!

Maria Guimarães  – Ficaram mesmo! Tenho amiga médica … posto vazio . Tenho amigo dentista, me falou agorinha que assistiu o jogo porque ninguém foi nas consultas marcadas no posto de saúde , eita povinho

Lucilene Silva –  Mas a Santa Casa ligou desmarcando a consulta na hora do jogo. Isso ele tem que ver. Olhar a agenda e a porta de entrada, se não estava fechada na hora do jogo.

Reginai Eu nem teria coragem de ir. Se já tratam mal em horário normal, imagine se fosse lá pra atrapalhar eles assistirem o jogo !

Rafael – Na minha cidade fizeram até reportagem por que realmente o posto de saúde ficou vazio

Karin – Nossa!! Q bom hein, se tivesse jogo do Brasil direto o problema da saúde estaria solucionado 😂

Eunice Souza -Tem gente que vai ao pronto socorro até por dor no cabelo! Por isso vive sempre lotado!!!

Fátima Garcia Tenho certeza que isto é premeditado pelo pessoal do agendamento. Tudo combinado para não trabalharem neste dia! Quanta inocência! Ou o brasileiro que está doente vai deixar de procurar as UBS apenas pelo jogo do Brasil?

Zaquie – Isso é verdade!!! Eu já estive em Pronto Socorro em feriado… e imaginem…é o dia em que não tem ninguém! Agora…2 feira…3 feira.

Maria Vinhal – Provavelmente anunciaram que não iriam atender na hora do jogo, o que é uma burrice, pois doença não tem hora…

Fischer – Ou será que não ficaram com medo de perder a viagem….aqui onde moro tem que ligar antes…

Montovani  – Lordello, isso me faz lembrar quando fui delegado em São José do Barreiro interior de SP em 1994 foi gravado novela da Band…idade da Loba com Paulo Goulart, Beth Faria, Felipe Camargo com direção Jayme Monjardim , um dia recebi visita do prefeito Nelson e ele me disse que queria contratar os artistas para morar na cidade pois nos 30 dias de filmagem o povo não ficava doente…e assim contratando os artista ficaria mais barato para município do que contratar médicos…..kkkkkkk

Cezarino  – Lordello segue foto do UPA da minha cidade na hora do jogo…( São Carlos)

Deni – Brasileiro e bem idiota mesmo…Depois vão pro Facebook reclamar da saúde. Nos dias de jogo ninguém passa mal.😂😂 😈😈

Do Nascimento – De final de semana tb costuma acontecer isso, sexta e principalmente sábado. o pessoal costuma ficar doente mais de segunda e terça para ai pega aquele atestadão bacana pra não ir trabalhar.

Cesar Ruiz – Logico que não tinha ninguém, as pessoas sabem que seriam atendidas após o jogo…

Priscila – Até as 11:00 estava igual a música do saudoso Raul Seixas, “O dia que a Terra parou” rsrsr

Dirceu – No dia do jogo ninguém sente nadaaaaa! Kkkkk

Breno Marques -Tá aí a solução, Copa do Mundo 365 dias por ano, resolvido!

Aparecida Godoy – Minha filha aproveitou esse horário e foi super bem atendida, sozinha kkkkk

Uma coisa é certa, durante os dois primeiros jogos da seleção Brasileira na Copa da Rússia, notei que as ruas ficaram completamente vazias. Principalmente no segundo jogo, que começou ás 9h da manhã, confesso que não ouvi barulho de veículos em frente de casa. Por outro lado fiquei sabendo que os bares e botecos nas redondezas estavam completamente lotados. Logo após os jogos da seleção era nítido que a cidade voltava ao ritmo normal.

PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR

Afinal, você acredita ou não que prontos-socorros ficam vazios em dia de jogo da seleção na Copa da Rússia?


Dê sua opinião


Muitas notícias rondaram as mídias sociais nos últimos dois anos relatando explosões de aparelhos celulares com consequências graves para os usuários; até casos que teriam gerado mortes foram veículados, sem, no entanto, fontes seguras que assegurassem a veracidade. Mas agora, o pior se confirmou! Infelizmente,...

963

Muitas notícias rondaram as mídias sociais nos últimos dois anos relatando explosões de aparelhos celulares com consequências graves para os usuários; até casos que teriam gerado mortes foram veículados, sem, no entanto, fontes seguras que assegurassem a veracidade.

Mas agora, o pior se confirmou!

Infelizmente, ocorreu a morte do jovem Iago Aguiar.

O fatídico caso aconteceu na cidade de Tianguá, 310 km de Fortaleza, dentro do laboratório de informática da escola onde a vítima cursava o 2º ano do ensino médio.

COMO TUDO ACONTECEU?

O adolescente desconectou o aparelho da tomada e inseriu o carregador na entrada USB do computador para a recarga. Após alguns minutos, o smartphone tocou e ao atender ele recebeu forte descarga elétrica e veio a falecer.

“MAS LORDELLO, FOI APENAS UM CASO… NÃO SEJA ALARMISTA”

Espero que você não esteja tendo esse tipo de pensamento, que é uma “negativa de prevenção”, ou seja, é não desejar enxergar os devidos riscos inerentes à circunstância, atitude que pode levar o  cérebro a desqualificar o alerta de segurança.

A causa da morte está sendo investigada pelo Instituto de Criminalística do Ceará, mas já deixo o primeiro alerta:

Não use seu celular conectado em uma rede que forneça energia.

Além do caso acima narrado, que resultou na morte do estudante Iago Aguiar, tive acesso a mais de 10 ocorrências onde celulares pegaram fogo ou explodiram, gerando, com isso, graves ferimentos nos usuários ou ocasionando incêndios.

Você tem o hábito de deixar seu celular, tablet ou notebook em cima da cama, sofá da sala ou qualquer outro lugar facilmente inflamável enquanto está ligado na tomada para carregar a bateria?

Se a resposta foi afirmativa, continue lendo esta matéria.

Pouca gente sabe, mas as baterias desses equipamentos podem explodir, principalmente em duas ocasiões:

Se com defeito de fabricação ou de alguma forma ter entrado pó ou umidade em seu interior. Essas condições podem ocasionar falha no componente de segurança que separa os polos positivo e negativo, promovendo, assim, curto circuito que poderá gerar calor em excesso e, consequentemente, derreter o invólucro. Isso provoca a entrada de ar na bateria, fazendo com que haja combustão, que pode chegar a 800ºC. O excesso de energia causará superaquecimento e possível explosão.

Mas como evitar que esses equipamentos de comunicação possam ferir ou matar os usuários e até incendiar suas casas?

1) Assim que o aparelho avisar que a bateria foi carregada, tire a tomada da corrente elétrica. Dormir e deixar o aparelho carregando é perigoso e não recomendado.

2) Não leve ao banheiro enquanto estiver tomando banho.

3) Piscina e praia podem também promover umidade na bateria, o que pode gerar problemas futuros.

4) Jamais deixe o celular exposto ao sol, no painel do carro, perto do fogão ou micro-ondas.

5) Somente use carregadores originais; da mesma marca e compatível com o modelo que tem. Jamais carregadores segunda linha, que são vendidos por ambulantes nos semáforos ou por camelôs. Não faça economia burra adquirindo carregadores piratas; alguns sequer carregam de maneira adequada ou demoram muito tempo e ainda podem danificar a bateria e promover explosão.

6) Se precisar trocar a bateria, procure adquirir as indicadas pelo fabricante. Não caia na tentação dos produtos pirateados. Lembre-se que o “barato”, geralmente, costuma sair “caro”.

NÃO SEJA IMPRUDENTE

A recomendação é que se deve sempre tirar o carregador da tomada assim que o ciclo de recarga estiver concluído e antes de atender ou fazer ligação telefônica. Outro problema levantado por especialistas, é que também existe o risco de um raio atingir a rede elétrica, principalmente em dias chuvosos.

Quando vai tomar banho, leva o aparelho com você?

Se a resposta for “sim”, continue a leitura, pois o conteúdo poderá salvar seu smartphone.

Técnicos em celulares alertam que é extremamente danoso deixar o aparelho em exposição ao vapor d’agua. Quando o espelho fica embaçado, é sinal que não deveria estar no ambiente. O principal risco é a oxidação de seus componentes. Muitas vezes, externamente o celular não fica molhado e nem com gotículas de água, mas peças internas podem ser afetadas.

Alguns componentes podem parar de funcionar e o smartphone apresentar problemas no carregamento das informações. Pode parar de produzir imagens e deixar de fazer e receber ligações telefônicas. A câmera também poderá apresentar problemas de funcionamento.

Ao levar o celular com esse tipo de problema para conserto, ou seja, infiltração de água, pode acontecer que o técnico o recupere total ou parcialmente, mas, em muitos casos, será necessária a troca por um novo.

Portanto, pelo menos na hora do banho ou em ambientes úmidos, como sauna, mantenha-o longe do vapor d’agua. É melhor ficar alguns minutinhos sem usar do que perder em definitivo.

PARA FINALIZAR – VOCÊ SABE O QUE É NOMOFOBIA?

Nomofobia é a dependência de telefone celular. Já são mais de 7 bilhões de aparelhos em uso no planeta. Atualmente, é a maneira mais usual de acesso à internet.

O termo nomofobia, que é a abreviação do inglês para no-mobile-phone phobia, foi criado no Reino Unido para descrever o pavor de algumas pessoas de estar sem o telefone celular disponível e pronto para ser utilizado.

34% das pessoas entrevistadas em estudo brasileiro afirmaram ter alto grau de ansiedade sem o telefone por perto.

E o leitor, será que já foi acometido por essa síndrome?

Quer um conselho?

Tudo na vida é bom quando usado com moderação. Quanto aos aparelhos eletrônicos, siga sempre as recomendações do fabricante.


Dê sua opinião


O que será que o leitor entendeu ao ler o título deste artigo? Provavelmente relacionou o Brasil com o futebol, e como estamos em plena Copa do Mundo na Rússia, deve estar pensando que não gosto desse esporte. Muito pelo contrário, sempre gostei de futebol,...

1245

O que será que o leitor entendeu ao ler o título deste artigo?

Provavelmente relacionou o Brasil com o futebol, e como estamos em plena Copa do Mundo na Rússia, deve estar pensando que não gosto desse esporte.

Muito pelo contrário, sempre gostei de futebol, como a maioria esmagadora dos brasileiros, no entanto, me decepcionei com última copa realizada na “terra brasilis”. E não foi pelo fatídico jogo contra a Alemanha, onde tomamos 7 gols, mas pelo mau uso do dinheiro público, que escoou pelas torneiras da corrupção durante a organização do evento.

Realmente, perdi o fanatismo pela nossa seleção.

Isso não quer dizer que vou torcer contra, muito pelo contrário, ficarei feliz se vencermos, mas não tenho mais a mesma empolgação; e não estou sozinho nesse barco.

Na segunda semana de junho/2018, o DataFolha publicou pesquisa que apontou o desinteresse dos brasileiros pela competição, batendo recorde ao atingir 53% dos brazucas. A marca é a pior desde as vésperas da Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos, quando o instituto realizou pela primeira vez levantamento de desinteresse pelo Mundial de Futebol.

11% dos entrevistados disseram, categoricamente, que não irão assistir os jogos da copa, pois têm coisa mais importante para fazer.

A pesquisa apontou que somente 18% dos entrevistados estão muito interessados no torneio mundial, que só acontece de 4 em 4 anos, mesma marca dos que afirmaram ter médio interesse. Os que declararam ter pouco interesse somam 9%. Esses dados realmente condizem com a realidade.

Em relação a copas passadas, diminuiu muito o número de casas que penduraram bandeirinhas do Brasil, e são poucas, melhor dizendo, raras as ruas enfeitadas e pintadas com as cores da bandeira brasileira.

Portanto, já decidi…

Não vou fazer e nem participar de churrascos nos jogos do Brasil na Rússia…

Não quero decorar e nem ouvir “jingles”…

Não desejo saber a escalação e qual vai ser a estratégia que o técnico Tite vai usar…

Não vou comprar camisa da CBF…

Não vou pendurar em meu carro banderola verde e amarela ou adesivo com o escudo da seleção…

Não vou gastar meu dinheiro com fogos de artifício…

Não vou chorar e nem me emocionar se o time brasileiro ganhar ou perder…

Não quero mais fazer parte do “Brasil do Futebol”

Minha torcida é para um “Brasil com mais Emprego”

Minha torcida é para um “Brasil com mais Honestidade e Integridade”

Minha torcida é para um “Brasil com mais Segurança”

Minha torcida é para um “Brasil com ensino de Qualidade”

Minha torcida é para que o jeitinho brasileiro perca de goleada

Minha torcida é para que os brasileiros se tornem mais nacionalistas e lutem por um futuro melhor; que amem a bandeira do Brasil todos os dias do ano e não apenas nos 30 dias da Copa.


Dê sua opinião


Em palestras que ministro para síndicos, normalmente é levantado o problema criado por moradores que burlam as normas internas do prédio ao usar indevidamente o controle remoto de seus veículos em prol de algum tipo de vantagem. O problema é grave, pois vulnerabiliza a segurança...

411

Em palestras que ministro para síndicos, normalmente é levantado o problema criado por moradores que burlam as normas internas do prédio ao usar indevidamente o controle remoto de seus veículos em prol de algum tipo de vantagem.

O problema é grave, pois vulnerabiliza a segurança da coletividade. Dessa forma, vou expor as principais infrações:

-Morador empresta controle remoto para amigo estacionar carro na garagem sem passar pela triagem na portaria;

-Ao perceber vaga que não está sendo utilizada na garagem do edifício, morador coloca outro carro de sua propriedade ou de terceiros, usando, assim, indevidamente o espaço;

-Geralmente, nos finais de semana, para preservar o descanso familiar, na maioria dos prédios, é proibido a entrada de prestadores de serviços. No entanto, o jeitinho brasileiro se faz presente. Alguns moradores estacionam seus carros em ruas próximas ao prédio, voltam a pé e entregam o controle remoto ao prestador de serviço, que entra no condomínio sem ser identificado;

-Muitos condôminos trocam de veiculo mas deixam de informar a administração. Assim, os porteiros ficam totalmente vendidos porque o novo carro não consta no cadastro;

-É muito comum que morador, apesar de ter carro próprio, se utilize de taxi ou carro chamado por aplicativo. Para não ter que entrar pela portaria de pedestres na volta, alguns costumam levar o controle remoto, pois assim, podem abrir o portão da garagem e entrar tranquilamente, sem dar satisfação à portaria, mesmo estando como passageiros e em carro estranho ao condomínio;

É importante ressaltar que muitos moradores, quando suas vagas na garagem já estão preenchidas, burlam as normas para conseguir a entrada e estacionamento de carros de visitantes, entregadores ou prestadores de serviços. Instruem essas pessoas de fora a se utilizar de vagas de outros moradores. Normalmente, esse tipo de procedimento gera discussões homéricas.

Em um prédio da zona sul de São Paulo, um síndico criou um crachá para ser colocado no suporte do espelho retrovisor com as iniciais do edifício e com o número do apartamento do morador. No verso do crachá foram inseridos os seguintes dizeres:

1) A não utilização do crachá na garagem resultará em multa, conforme estabelecido em Assembleia

2) O empréstimo a terceiros é de total responsabilidade do condômino

Será que esse tipo de estratégia vai funcionar? Qual opinião do leitor?

Na minha opinião não.

O morador malandro poderá burlar essa norma facilmente.

Senão vejamos:

-Da mesma maneira que o morador empresta o controle remoto para terceiros, poderá também entregar o crachá de identificação

-Os mais abusados ainda poderão solicitar segunda via, alegando extravio. Assim. terão um sobressalente para quando precisar facilitar a entrada de veículo não cadastrado

Não poderia deixar de mencionar, que inserir no tal crachá o número do apartamento não é seguro, pois oferta a desconhecidos o local exato da unidade do morador. Essa informação pode ser preciosa para uma pessoa de má índole.

Portanto, não é dessa forma caseira ou amadora que será solucionada a problemática em questão.

É preciso usar de recursos tecnológicos para não permitir a entrada e/ou permanência de veículos não cadastrados ou não devidamente autorizados no edifício

As soluções que recomendo são:

 

1) Acesso de veículos a portões através do sistema de Tag RFID,  idêntico ao “Sem Parar” dos pedágios. Um adesivo eletrônico é instalado em cada carro de morador. Com a aproximação do veiculo, o portão abre automaticamente. Nesse modelo de controle de acesso, o sistema funciona sozinho, sem a interferência do condutor; assim ele não terá como burlar o sistema.

2) A utilização dos chamados controles remotos digitais dão a oportunidade de o porteiro visualizar em equipamento eletrônico os dados do auto que deseja entrar. Vamos imaginar a seguinte situação: o morador João, do apartamento 22, empresta o controle remoto de seu carro Renault Sandero, de cor azul e de Placas CDV 4278/SP, para um visitante que tem um carro Passat de cor branca, de placas HIF 7887/SP. O visitante, em poder do controle remoto do amigo condômino consegue abrir o primeiro portão e ingressar na clausura de autos. Aconselho sempre que a abertura do segundo portão deve ficar a cargo da portaria, e nesse caso, o porteiro irá verificar que o veiculo que deseja ingressar na garagem não é o do morador, e assim, através de interfone instalado na clausura de autos, deverá informar ao condutor que sua entrada está sendo negada e portando deverá dar marcha ré e deixar o edifício. Em seguida, o porteiro deverá lançar o fato no Livro de Ocorrências Gerais, para que a administração aplique as devidas penalidades ao morador infrator.

Creio que alguns moradores devem estar desejando fazer a seguinte indagação?

Mas Lordello, no meu prédio temos apenas um portão de acesso para a garagem; como resolver essa questão?

Para prédios que tenham apenas um portão de acesso à garagem, o sindico terá apenas as seguintes alternativas:

1) Optar pela utilização do sistema de Tag RFID, igual ao “Sem Parar”, usado em pedágios e shoppings

2) Se optar pela utilização de controle remoto digital, que registra eletronicamente a entrada e saída de autos, o sindico terá duas opções:

  1. a) O morador, ao se aproximar do portão para ingressar no prédio, deverá acionar o controle remoto, que emitirá sinal eletrônico na portaria e fornecerá todos os dados característicos do carro. Após conferência, o funcionário determinará a abertura do único portão para acesso do carro devidamente cadastrado
  2. b) Se a abertura do portão ficar por conta do morador, deverá o porteiro ficar alerta ao equipamento à sua disposição na guarita para comparar os dados constantes no cadastro com o veículo que está entrando. Apresentando diferenças, deverá acionar o zelador ou outro funcionário para solicitar que o visitante, que não foi devidamente triado na portaria, retire o carro. Em seguida, deverá lançar a infração no Livro de Ocorrências Gerais, para que o síndico aplique as penalidades devidas.

CONCLUSÃO

Síndicos e gerentes prediais não podem esperar que 100% dos moradores ajam de forma segura, em consonância com as normas internas. Infelizmente, essa é a regra no Brasil com a cultura enraizada do famigerado “jeitinho”.

Não se pode permitir que alguns moradores, por não gostarem de segurança pois dão mais relevância à comodidade, coloquem em risco toda a coletividade.

Caro administrador, tenha em mente que somente campanha de conscientização não basta. É pueril acreditar que alguns cartazes, banners, faixas ou panfletos possam convencer todos os condôminos a cumprir o Regimento Interno de cabo a rabo.

Portanto, a utilização inteligente de meios físicos e eletrônicos e a capacitação dos profissionais de portaria e controle de acesso são fatores imprescindíveis para impedir e/ou detectar morador ou empregado doméstico que deseja contrariar as normas de segurança votadas e aprovadas.


Dê sua opinião


Miami – 28.07.2017 – River Yacht Club   Com o show da dupla Simone e Simaria, a noite era para ser de festa para o público brasileiro nos EUA. O local estava super lotado. A organização foi precária, haja vista as muitas reclamações nas redes sociais...

38622

Miami – 28.07.2017 – River Yacht Club

 

Com o show da dupla Simone e Simaria, a noite era para ser de festa para o público brasileiro nos EUA.

O local estava super lotado. A organização foi precária, haja vista as muitas reclamações nas redes sociais de pessoas que estiveram no local.

O som estava alto e passou a incomodar moradores vizinhos na madrugada de sábado.

Além disso, várias brigas teriam acontecido no transcorrer do evento.

A polícia americana recebeu várias reclamações através do fone 911.

Rapidamente, algumas viaturas se dirigiram ao clube onde se realizava o evento musical.

Os policiais constataram algumas irregularidades e não quiseram conversa com os organizadores e nem com as cantoras sertanejas brasileiras.

O primordial era fazer cumprir as leis locais.

Com o show ainda rolando, sem dar maiores explicações, a polícia americana desligou o som e deu por encerrado o show musical, sem sequer permitir que as cantoras se despedissem do público.

A assessoria das cantoras se manifestou sobre o ocorrido:

” Faltando quinze minutos para o encerramento do show, a polícia adentrou o local e obrigou o término imediato da apresentação, impedindo até que as cantoras se despedissem do público. A produção de S&S tentou impedir que isso ocorresse, já que a casa tinha a liberação de funcionamento até as 2h, mas os próprios policiais se dirigiram até a mesa de som e desligaram os equipamentos “.

Outro fato que chamou a atenção, é que ninguém reclamou ou tripudiou sobre a decisão policial. Todos foram embora imediatamente, aceitando a determinação unilateral.

Isso no direito chama-se “Poder de Polícia”, que é a “faculdade que tem o Estado de limitar e condicionar o exercício dos direitos individuais, a liberdade e a propriedade, tendo como objetivo a instauração do bem-estar coletivo”, conforme preceitua a jurista Maria Sylvia Di Pietro.

Quem já viajou para os EUA, sabe que a polícia americana não é muito de conversar e pedir explicações. Quando constata que alguém está cometendo alguma irregularidade, o policial simplesmente cumpre a lei. Cabe ao infrator ficar calado e responder apenas às perguntas que lhe forem feitas.

Se o detido não acatar as ordens do policial, poderá responder por outros crimes com penas duras e sem benefícios, como por exemplo: desacato, desobediência, resistência à prisão e perjúrio, se eventualmente mentir para a polícia.

Se o presente fato acontecesse no Brasil, com certeza teríamos rapidamente uma enxurrada de críticas ao trabalho dos policiais, que seriam chamados de arbitrários, despreparados e ainda seriam acusados de terem praticado crime de abuso de autoridade.

Portanto, democracia sem poder de polícia vira bagunça, desarranjo social, insegurança jurídica e prevalência da vontade dos desordeiros, vândalos e arruaceiros contra os ditames da lei.

                                                                                                        JORGE LORDELLO

 


Dê sua opinião


Toda vez que uma pessoa famosa ou considerada celebridade no meio artístico, político, esportivo ou empresarial envolve-se em acidente de natureza grave ou é hospitalizada em Unidade de Terapia Intensiva(UTI) em razão de enfermidade ou até por uso abusivo de drogas, percebe-se cautela nos meios...

36969

Toda vez que uma pessoa famosa ou considerada celebridade no meio artístico, político, esportivo ou empresarial envolve-se em acidente de natureza grave ou é hospitalizada em Unidade de Terapia Intensiva(UTI) em razão de enfermidade ou até por uso abusivo de drogas, percebe-se cautela nos meios de comunicação no tocante a divulgação de seu estado de saúde.

Os hospitais possuem normas e regras no fornecimento de Boletim Informativo relativos a informações clínicas de paciente internados.

A verdade, é que fãs e admiradores ficam preocupados e desejam notícias do estado de saúde da pessoa pública, mas muita gente têm somente curiosidade de saber se o famoso vai sobreviver ou não ao tratamento emergencial.

O repórter, quando não consegue obter informações oficiais precisas e aprofundadas sobre o estado clínico da celebridade, pode comentar que o enfermo encontra-se em “estado estável”. É mais simples, prático e politicamente correto.

Comparo esse termo com o mundo do futebol. O time grande vem perdendo várias partidas. O dirigente não sabe bem o que fazer. De quem é a culpa pelos maus resultados?

Geralmente, a responsabilidade cai em torno do técnico. Enquanto não se decide o que fazer, sempre surge um diretor do clube dizendo que “o treinador está prestigiado”.

Quem é do meio do futebol sabe que essa expressão indica que o técnico será substituído nos próximos dias.

Mas na medicina, qual o verdadeiro significado do termo “estado estável” do paciente?

Devemos ficar esperançosos ou entristecidos com esse tipo de Boletim Médico?

É importante frisar, que “quadro clínico” é a situação em que o paciente se encontra; é o diagnóstico daquele momento.

Conversei com algumas médicos que me disseram que se o quadro clínico continua estável, é preocupante, pois indica que o paciente não obteve evolução positiva.

Certa vez, acompanhei o caso de uma celebridade que foi internada em virtude de uso abusivo de remédios controlados(tarja preta). Ele deu entrada no hospital já à beira da morte. 36 horas depois da internação, as informações de bastidores não eram nada animadoras.

O Boletim Informativo dizia que o paciente estava estável.

O semblante do médico era de tensão e preocupação. A conclusão era a seguinte: o paciente está estável, ou seja, do mesmo jeito que chegou…próximo da morte.

Alguns dias depois veio a notícia do óbito.

Portanto, pelo que pude pesquisar no meio médico, paciente recolhido à UTI em razão de doença, acidente ou uso exagerado de drogas e que permanece em estado estável, poderá ter recaída, piorar e vir à morte, como também tem chances de obter melhoras de forma paliativa.

A esperança é a última que morre”, já dizia o velho jargão popular.

Alguns dizem isso com tristeza no olhar, mas acreditando que através da fé a pessoa querida vai se restabelecer. Quando nada está dando certo e parece que não tem mais jeito, a única coisa que nos resta é a esperança.

No futebol é assim, nem todo “técnico prestigiado” é demitido. Muitos dão a volta por cima e tornam-se campeões.


Dê sua opinião


O anúncio do desaparecimento e em seguida da morte do ator Domingos Montagner nas águas do Rio São Francisco surpreendeu a todos. Diversas mensagens de tristeza e comoção inundaram as redes sociais. Muita gente usou a palavra “fatalidade” para discorrer sobre o ocorrido, mas, na verdade, a...

33555

O anúncio do desaparecimento e em seguida da morte do ator Domingos Montagner nas águas do Rio São Francisco surpreendeu a todos. Diversas mensagens de tristeza e comoção inundaram as redes sociais. Muita gente usou a palavra “fatalidade” para discorrer sobre o ocorrido, mas, na verdade, a morte do protagonista da novela “Velho Chico” não foi mera fatalidade do destino.
Como especialista em segurança pública e privada, devo analisar esse triste e lamentável episódio procurando me ater exclusivamente aos fatos que ceifaram a vida desse homem de talento ímpar e carismático, dia 15.09.2016, no auge dos seus 54 anos de idade, no Rio São Francisco, em Canindé do São Francisco, no Alto Sertão de Sergipe.

O QUE ACONTECEU? QUAIS FORAM AS CAUSAS DESSA MORTE TRÁGICA?

Inicialmente, é importante frisar que cerca de 400 mil pessoas morrem afogadas por ano no mundo. O Brasil é medalha de Bronze nesse ranking, pois é o terceiro país com o maior número de mortes por afogamento, cerca de 7000 por ano. Estatísticas demonstram que homens têm o dobro de chances de morrerem afogados em comparação às mulheres. Portugal destaca-se por ter feito a lição de casa quando o assunto é prevenção, pois nesse país, em média, apenas 140 pessoas falecem afogadas anualmente.

FATORES QUE PODEM TER CONTRIBUIDO PARA O AFOGAMENTO DO ATOR

1) ALIMENTAÇÃO: Domingos Montagner, após o término das gravações das cenas para a novela “Velho Chico” no período matutino, dirigiu-se, em companhia da atriz Camila Pitanga, ao restaurante Caçua, onde almoçaram.

Os mais experientes vivem repetindo: comer e depois nadar é perigoso; pode fazer mal. Mas por que esse conselho é verdadeiro? Logo após a ingestão de alimentos inicia-se o processo de digestão, onde grande parte de nosso sangue é deslocado para a região do estômago e intestino. Com isso braços e pernas tornam-se lentos e a sensação de moleza invade o corpo.

2) BEBIDA ALCOÓLICA: Não foi divulgado se a vítima ingeriu bebida alcoólica durante o almoço. De qualquer forma, médicos e preparadores físicos são taxativos em afirmar que álcool e exercícios físicos não devem ser associados, pois promove diminuição da força, da velocidade, da capacidade respiratória e muscular, do equilíbrio e prejudica a respiração.

3) MERGULHO NO RIO SÃO FRANCISCO: se após refeição praticarmos algum exercício físico, parte do sangue que estaria ocupado no processo digestivo é redirecionado para os músculos, por causa do esforço físico realizado. Não podemos esquecer que após refeições pesadas é natural sentirmos uma certa “moleza” ou sonolência. As consequências para quem insiste em praticar atividade física de barriga cheia são várias, tais como: enjoo, náusea, mal estar, vontade de desmaiar, suor, palidez e até congestão.

4)TEMPERATURA: Pouca gente sabe, mas a temperatura da água pode influenciar negativamente no rendimento de quem deseja nadar. Especialistas dizem que em dias quentes o corpo do nadador estará com temperatura mais elevada que o normal, e ao pular em águas geladas ocorrerá um contraste, onde o corpo entra em uma briga com ele mesmo para controlar e regular sua temperatura, além de ter que fazer a digestão e ainda manter os músculos em atividade. Nessas condições, o nadador pode entrar em colapso.

5)ÁGUAS PERIGOSAS:  A dona do restaurante que serviu refeição ao casal de atores, conhecida por Lalá, contou que o local onde eles mergulharam, a Prainha do Canindé”, é perigoso, pois a correnteza é forte. Uma seguidora minha, moradora do vilarejo, me contou que ao dar o primeiro passo em direção ao rio, a água já chega na altura dos joelhos. Com o segundo passo, atinge a cintura; se der o terceiro passo, as águas tendem a cobrir por inteiro o banhista.

ÁGUA NO UMBIGO, SINAL DE PERIGO

Portanto, a soma dos fatores acima desancadeou a terrível ocorrência de morte por asfixia na modalidade afogamento

COMO SE DÁ A MORTE POR AFOGAMENTO?

A pessoa que está com o corpo dentro d’gua procurando divertimento e lazer, quando percebe a possibilidade de afogamento entra em pânico, dificultando, assim, sua racionalidade. Em fração de segundos vem o desespero e a vontade de alcançar algum objeto ou pessoa para se apoiar. Mas quando não encontra, começa a afundar…

FASES DO AFOGAMENTO

1) A água entra pelo nariz, invadindo os pulmões e promovendo danos às células do sangue. Nos primeiros momentos, a pessoa se debate, luta contra as águas, tenta a todo custo se manter na superfície. Prende a respiração, mas, aos poucos, começa a ingerir pequenas quantidades de água; isso provoca o fechamento da laringe. Trata-se de mecanismo de defesa do corpo para tentar impedir que a água inunde a região dos pulmões.

2) Com o passar dos segundos, a laringe se abre um pouco, e mesmo lutando para sobreviver, a vítima acaba ingerindo mais água, não só pela boca, mas também pelo nariz. Dessa forma, o estômago passará a receber água oriunda da boca. Através das vias respiratórias, a água percorre a traqueia, chega aos pulmões, passando por brônquios, bronquíolos e alvéolos.

3) Com o corpo praticamente submerso e o pulmão encharcado, a troca gasosa, ou seja, a entrada de oxigênio e saída de gás carbônico, necessária para uma respiração regular, entra em colapso. Com a falta de oxigenação cerebral, a pessoa fica inconsciente.

4) Nesse estágio, restará pouco tempo para o coração parar de bater definitivamente. Em 3 minutos sem oxigênio, o cérebro já apresenta danos irreversíveis. Em média, de 3 a 5 minutos se dá a morte de uma pessoa afogada.

POR QUE O CORPO DO AFOGADO AFUNDA E DEPOIS FLUTUA?

No momento em que os pulmões são preenchidos com água, o corpo afunda até equilibrar sua densidade com a da água circundante, ou seja, pode não ir ao fundo e sim ficar submerso. O corpo permanecerá submerso enquanto estômago e intestinos estiverem cheios de alimento. Com o passar das horas, o alimento entra em processo de fermentação, saindo do estado pastoso formando gases que ficam retidos e fazem o corpo mudar sua densidade relativa e voltar à superfície. Esse processo leva em média de 12 a 24 horas.

CONCLUSÕES FINAIS

Um pequeno descuido ou falta de atenção, pode resultar em grandes problemas, muitos deles fatais. A morte do ator Domingos Montagner nos traz profundas reflexões. Desde o momento em que levantamos pela manhã, devemos tomar algumas cautelas. A grande maioria dos acidentes pessoais têm sua causa na imprudência, negligência ou na imperícia, portanto, podem ser evitados.

O leitor deve ter em mente que o exercício diário da pro atividade pode livrá-lo de muitas dores de cabeça, pois não há trabalho tão importante e nem lazer tão urgente que não possam ser feitos com segurança. Tenha sempre em mente, que prevenção é uma capa invisível que nos protege de acidentes pessoais, de trânsito e também da criminalidade.


Dê sua opinião


Você já acordou assustado por causa de um sonho?  Todos já passamos por isso, mas muitos acreditam que sempre há um significado a ser descoberto por trás dessa experiência onírica. Qual a mensagem que o sonho desejou passar? Será que é um alerta para prevenir...

28834

Você já acordou assustado por causa de um sonho?  Todos já passamos por isso, mas muitos acreditam que sempre há um significado a ser descoberto por trás dessa experiência onírica.

Qual a mensagem que o sonho desejou passar?

Será que é um alerta para prevenir ou avisar de alguma coisa ruim ou boa que está para acontecer?

Existem sonhos que podem trazer informações importantes que estão encaixotadas ou embutidas no inconsciente. Outros sonhos referem-se apenas aos acontecimentos que marcaram o dia, principalmente horas antes de se dormir. Um filme de terror que assustou ou de amor que comoveu muito, podem se transformar em mensagem refletida em sonho na mesma noite.

Dizem ainda que sonhar tem a função de consolidar aprendizados.

Alguns psicólogos garantem que o sonho pode traduzir aquilo que mais se teme e tem a finalidade de treinar para o enfrentamento, se ocorrer num futuro. Há quem garanta que o sonho pode ser a realização de um desejo não materializado por falta de coragem, medo ou outro motivo relevante.

Como sou estudioso da área criminal, realizei pesquisa sobre sonhos com assassinatos, na qual, encontrei a tradução desses acontecimentos com especialistas.

Sonhar com assassinato significa precisar rever atitudes com as outras pessoas ou que nova fase surgirá na vida. A tendência é acordar assustado, preocupado e até ofegante. Mas não necessariamente significa que algo ruim está para acontecer.

Sonhar com morte significa, em linhas gerais, um momento de transição na vida, podendo ser positivo ou negativo.

Portanto, vamos às várias possibilidades de sonhos relacionados com homicídios:

1)    Sonhar que está matando alguém: está relacionado diretamente com atitudes no cotidiano. Pode significar que, de alguma forma, se está liquidando sonhos, desejos e planos de algum conhecido bem próximo. A reflexão é para se repensar decisões e ações e evitar o negativismo com as pessoas.

2) Sonhar que está sendo assassinado: significa estar prestes a tomar decisão importante na vida. É como que se aquele que existia antes da escolha não existe mais. Por outro lado, pode também ser um alerta para tomar cuidado com alguém próximo que pode prejudicar ou que não é confiável. Pode, ainda, alertar que alguém que se estima pode deixar de fazer parte de nossa vida e assim se deve preparar emocionalmente.

3) Sonhar com assassinato do pai: não implica  em nada de ruim com seu genitor e sim fase de amadurecimento. Pode determinar que se está pronto para mais independência, como morar sózinho ou constituir família.

4) Sonhar que presenciou homicídio: sentimento de raiva e rancor de alguém; através do sonho veio a necessidade de exteriorizar.

5) Sonhar com assassinato de conhecido: pode significar distanciamento de alguém que se goste. Aquele que foi alvo do homicídio no sonho não necessariamente precisa ser aquele que pode estar se afastando.

6) Sonhar com assassinato a facadas: por incrível que pareça, pode ser prenúncio de que se vai ganhar muito dinheiro. Se a presença do sangue for marcante, é a confirmação que houve grande esforço  para a conquista da riqueza.

Quem sonha constantemente com a morte, precisa rever comportamento e atitudes, deixar o negativismo de lado e acreditar que os planos pessoais vão renascer.

Portanto, sonhar com morte não é indicativo de possível tragédia e sim de abundância e renovação. Porém, coisas boas somente deixam o mundo dos sonhos e entram na vida real com o exercício de ações positivas como a fé, sabedoria e persistência.

O negativismo tem que ficar cada vez mais distante, para que nem os sonhos se lembrem mais dele.

       JORGE LOREDELLO


Dê sua opinião


QUER SABER SE ISSO ESTÁ OCORRENDO ?    Muitos relacionamentos terminam por causa dos smartphones. O ciúmes e a possessividade fazem quem está num relacionamento sentir necessidade de vigiar o outro constantemente.  Muita gente já flagrou pessoa amada fuçando no celular atrás de alguma pista...

17405

QUER SABER SE ISSO ESTÁ OCORRENDO ?

 

 Muitos relacionamentos terminam por causa dos smartphones. O ciúmes e a possessividade fazem quem está num relacionamento sentir necessidade de vigiar o outro constantemente.

 Muita gente já flagrou pessoa amada fuçando no celular atrás de alguma pista de suposta traição. Evidentemente, essa não é uma atitude de pessoa sadia, madura e que tenha confiança na relação afetiva.

Poucos sabem, mas é possível fazer ajustes num celular de forma a ter, à distância, acesso às mensagens. Para o leitor ter certeza de não estar sendo vítima desse tipo de fraude e invasão de privacidade digital,  é só seguir as seguintes orientações:

1) Tecle no painel do seu telefone celular o seguinte código: *#21# e em seguida faça a ligação. Espere por alguns segundos; deverá aparecer na tela o seguinte recado: “Desvio de chamada de voz: Não desviado”. Surgindo esse aviso, pode ficar tranquilo, ninguém programou seu celular para desviar chamadas. Se aparecer informação diversa, é porque o encaminhamento de ligações, mensagens de texto e outras informações para outro número telefônico está habilitada.

2) Para a realização do segundo teste em seu aparelho, digite *#62# e em seguida faça a ligação. Espere por alguns segundos; deverá aparecer na tela a seguinte mensagem: Desvio de Chamada de Voz: Não desviado Dados: Não desviado Fax: Não desviado SMS: Não desviado Sincronizar: Não desviado Assíncrono: Não desviado Pacote: Não desviado PAD: Não desviado. Se surgir esse tipo de mensagem, fique tranquilo, ninguém está tendo acesso ao conteúdo do seu aparelho. Agora, se surgir informação diversa, é porque suas ligações, mensagens de texto e dados podem estar sendo encaminhados sempre que alguém entrar em contato com você através do celular. Para desabilitar a ação do(a) parceiro(a) ciumento(a) em seu aparelho celular, é só digitar ##002# e em seguida fazer a ligação; a desabilitação é imediata.

Agora, se você descobrir que a pessoa com quem está mantendo relacionamento afetivo pegou seu smartphone, sem sua permissão, e realizou programação para te vigiar, pense bem; com certeza, é alguém que não confia em você. Será que vale a pena arriscar e continuar investindo emocionalmente?


Dê sua opinião


Diversas versões para fato ocorrido no início do carnaval de 2017, em um apartamento de luxo localizado em bairro nobre de Belo Horizonte, e que envolveu integrante de famosa dupla sertaneja e sua família. Mas quem está dizendo a verdade? Poliana Bagatini Chaves se apresentou...

13089

Diversas versões para fato ocorrido no início do carnaval de 2017, em um apartamento de luxo localizado em bairro nobre de Belo Horizonte, e que envolveu integrante de famosa dupla sertaneja e sua família.

Mas quem está dizendo a verdade?

Poliana Bagatini Chaves se apresentou em uma delegacia, na qualidade de vítima, sexta feira de carnaval. Se mostrava indignada com a atitude do marido, Victor Chaves, em consequência, acusou-o de agressão física. Disse aos policiais civis, ter sido jogada ao chão e recebido diversos chutes.

Afirmou, ainda, que após as agressões foi impedida de sair do local por um segurança e pela irmã do cantor. Só teria conseguido graças a intervenção de uma vizinha, que ouviu a gritaria. Ainda no distrito policial, Poliana asseverou aos policiais que “estava recebendo ameaças da irmã do autor através de mensagens eletrônicas”.

O casal tem uma filha, Maria Vitória, de pouco mais de 1 ano de idade; Poliana está grávida do segundo bebê.

A sogra de Poliana, Marisa Chaves, dirigiu-se a outra delegacia e apresentou outra versão dos fatos, completamente distinta daquela ofertada pela nora. Alegou que por volta das 11h30 do sábado, Poliana tocou a campainha de sua residência, e quando sua filha atendeu, ela entrou transtornada, e de forma agressiva, fez ameaças, falou palavras de baixo calão e quebrou vários objetos. Marisa afirmou que tentava acalmá-la quando seu filho Victor chegou. Poliana disse que iria buscar a filha do casal, de um ano, e que iria embora. Narrou a sogra, que diante das colocações de Poliana, seu filho segurou no braço dela e pediu que se acalmasse. Nesse momento, Poliana se atirou no chão chorando e se debatendo. Em seguida, acompanhou a nora até seu apartamento, pois temia que ela fizesse alguma besteira. Mas Poliana pegou a filha, desceu a escada do prédio e entrou na casa de uma vizinha.

No dia seguinte, Poliana retornou à delegacia onde prestou esclarecimentos e recebeu requisição para realização de exame de corpo de delito, que foi feito na mesma data.

No domingo pela manhã, Poliana surpreende a todos e postou carta assinada por ela em seu perfil no instagram. Curiosamente, além da mudança de versão, nesse perfil não havia nenhuma outra mensagem ou foto. Em princípio, não podemos saber se antes dos fatos de sexta feira havia ou se foi deletado.

Fato é, que dois boletins de ocorrência foram registrados e agora as autoridades competentes deverão apurar os crimes e as contravenções penais citadas pelas denunciantes, que passo a descrever:

-Lei Maria da Penha: Agressão – Art. 129. § 9o: se a lesão for praticada contra ascendente, descendente, irmão, cônjuge ou companheiro, ou com quem conviva ou tenha convivido, ou, ainda, prevalecendo-se o agente das relações domésticas, de coabitação ou de hospitalidade:

Pena – detenção, de 3 (três) meses a 3 (três) anos.

Constatada a prática de violência doméstica e familiar contra a mulher, nos termos desta Lei, o juiz poderá aplicar, de imediato, ao agressor, em conjunto ou separadamente, as seguintes medidas protetivas de urgência, entre outras:

I – suspensão da posse ou restrição do porte de armas, com comunicação ao órgão competente, nos termos da Lei no 10.826, de 22 de dezembro de 2003;

II – afastamento do lar, domicílio ou local de convivência com a ofendida;

III – proibição de determinadas condutas, entre as quais:

a) aproximação da ofendida, de seus familiares e das testemunhas, fixando o limite mínimo de distância entre estes e o agressor;

b) contato com a ofendida, seus familiares e testemunhas por qualquer meio de comunicação;

c) frequentação de determinados lugares a fim de preservar a integridade física e psicológica da ofendida;

IV – restrição ou suspensão de visitas aos dependentes menores, ouvida a equipe de atendimento multidisciplinar ou serviço similar;

V – prestação de alimentos provisionais ou provisórios.

-Ameaça – Art. 147 – “Ameaçar alguém, por palavra, escrito ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, de causar-lhe mal injusto e grave”:

Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.

Parágrafo único – Somente se procede mediante representação.

-Danos Materiais – Art. 163 do Código Penal: “Destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia”:
Pena – detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
Dano qualificado
Parágrafo único – Se o crime é cometido:
I – com violência à pessoa ou grave ameaça;
Pena – detenção, de 6 (seis) meses a 3 (três) anos, e multa, além da pena correspondente à violência.

– Vias de Fato – Art. 21 da Lei das Contravenções Penais: “Praticar vias de fato contra alguém”:

Pena – prisão simples, de quinze dias a três meses, ou multa, de cem mil réis a um conto de réis, se o fato não constitui crime.

– Calúnia – Art. 138 do CP:  “Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime”:

Pena – detenção, de seis meses a dois anos, e multa.

  • 1º – Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga.

– Injúria Art. 140 do CP – “Injuriar alguém, ofendendo lhe a dignidade ou o decoro”:

Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.

– Comunicação Falsa de Crime – art. 340 CP: “Provocar a ação de autoridade, comunicando-lhe a ocorrência de crime ou de contravenção que sabe não se ter verificado:

“Pena: detenção, de 1 a 6 meses, ou multa.

– Denunciação Caluniosa – art. 339 CP: “Dar causa à instauração de investigação policial, de processo judicial, instauração de investigação administrativa, inquérito civil ou ação de improbidade administrativa contra alguém, imputando-lhe crime de que o sabe inocente:

” Pena: Reclusão, de 2 a 8 anos, e multa.

E SE POLIANA NÃO DESEJAR MAIS DAR PROSSEGUIMENTO AO BOLETIM DE OCORRÊNCIA, A POLÍCIA TEM QUE ACATAR SUA VONTADE?

Inicialmente, foi divulgado pela imprensa que após o registro do Boletim de Ocorrência solicitado pela vítima Poliana, foi determinada imediata instauração de inquérito policial para a devida apuração dos fatos apresentados.

Em relação aos crimes capitulados na lei Maria da Penha, a vontade da vítima que trouxe a notícia criminis pouca importa, pois são delitos de ação penal pública incondicionada, ou seja, o delegado de polícia vai apurar os crimes narrados, mesmo contra a vontade da denunciante, provavelmente com as seguintes providências:

-Ouvir as partes envolvidas

-Tomar depoimentos de eventuais testemunhas presenciais ou que de alguma forma tomaram ciência do ocorrido

-Tentar levantar imagens de câmeras de segurança que tenham registrado os fatos

-Juntada do exame de corpo de delito

-Verificar através de telefones celulares das pessoas envolvidas se há mensagens eletrônicas que possam de alguma forma esclarecer os fatos

Após todo esse levantamento de provas e indícios, o responsável pela investigação policial vai poder apontar quem disse a verdade e quem mentiu, opinando, assim, pelo indiciamento formal de responsável ou responsáveis, se houverem.

Já em relação ao Boletim de Ocorrência registrado pela sogra de Poliana, só terá prosseguimento caso haja representação formal da denunciante, isso se o(s) crime(s) imputado(s) for(em) de ação penal pública condicionada.

Aparentemente, a polêmica está longe de terminar.

Vamos aguardar os próximos capítulos desse desentendimento, que acabou em uma delegacia, nas redes sociais e nas páginas policiais de muitos veículos de comunicação.

Dizem os mais antigos, que em “briga de marido e mulher, não se mete a colher” e que “roupa suja lava-se em casa”.

No caso em pauta, a “desavença”, bate boca ou “agressão” saiu do âmbito do casal e ganhou outros participantes da mesma órbita familiar.

30 a 40% das pessoas que vão às delegacias de polícia em todo Brasil têm como objetivo registrar queixas de agressões, vias de fato ou ameaças ocorridas no ceio familiar. O problema, é que mais de 50% das supostas vítimas, depois de algumas horas ou dias, por diversos motivos e razões, não desejam prosseguimento. No entanto, em razão das disposições da Lei Maria da Penha, esse tipo de arrependimento não é mais possível quanto a boa parte dos delitos.


Dê sua opinião


  MAS POR QUE MUITOS SUICIDAS DEIXAM MENSAGEM FINAL?   No início de fevereiro/2017, familiares da ex-participante do programa “A Fazenda”, a funkeira Heloísa Faissol, ficaram preocupados por não conseguirem contato com ela. O filho, José Arthur Gerdes, de 20 anos, resolveu ir até o...

10679

 

MAS POR QUE MUITOS SUICIDAS DEIXAM MENSAGEM FINAL?

 

No início de fevereiro/2017, familiares da ex-participante do programa “A Fazenda”, a funkeira Heloísa Faissol, ficaram preocupados por não conseguirem contato com ela. O filho, José Arthur Gerdes, de 20 anos, resolveu ir até o apartamento da genitora para verificar o que estava acontecendo. O corpo de Heloísa foi encontrado no banheiro, já em adiantado estado de decomposição, sem sinal aparente de violência física

A delegacia do bairro foi acionada para realização de perícia técnica do local e autópsia do cadáver para constatação da causa mortis. Policiais acreditam que a morte, provavelmente, ocorreu de 4 a 5 dias antes, por isso o corpo já estava exalando mal cheiro.

Geralmente, a análise apurada do local do evento já sinaliza a linha de investigação a ser seguida.

Policiais civis encontraram na sala da casa uma carta de despedida manuscrita por Heloísa Faissol e endereçada aos familiares onde fazia referência a depressão e que não aguentava  mais “viver nesse mundo”.

Tudo leva a crer na ocorrência de suicídio mediante ingestão de substância entorpecente lícita ou ilícita, mas somente a necrópsia poderá dizer, com exatidão, o que levou à morte da funkeira.

Mas por que a vítima escreveu carta aos familiares antes de morrer?

Estudiosos em medica legal mostram que é bastante comum que aquele que decide dar cabo à própria vida deixe carta ou bilhete manuscrito e até mesmo mensagens eletrônicas em redes sociais. Nesses textos, expressa sua ideia, responsabilidade e premeditação ao suicídio concluído. A técnica de análise de conteúdo desse material é uma das ferramentas mais utilizadas para se compreender o suicídio.

A investigação vai analisar o texto deixado, notas e comentários, com intuito de auferir sentimentos, desejos e pensamentos suicidas. Em geral, mensagens de suicidas são caracterizadas por aspectos altamente variáveis ou eventos, tais como a hostilidade e autocensura. Muitas vezes deixam vontades e ordens aos sobreviventes.

O ideal durante a investigação de morte suspeita de suicídio, é esclarecer três perguntas:

1) Por que a vítima agiu assim?

2) Quais foram seus motivos? 

3) Por que naquele momento em particular?

Os investigadores precisam saber qual era o comportamento e as condições psicológicas para que a pesquisa possa avaliar qual pode ter sido a razão mais provável.

A ex-paquita conhecida por Andreia Sorvetão, que participou do reality A Fazenda junto com Heloísa Faissol, manteve amizade com a funkeira depois do término do programa, e revelou:

“A gente se encontrou poucas vezes, mas eu me lembro bem dela contar muitas histórias doidas de vida. Histórias que não consigo citar, mas que demandavam muita coragem da parte dela. Nós não fomos melhores amigas, mas era claro seu comportamento depressivo. Um dia ela me abraçou e falou: ‘Quero te parabenizar porque você tem família e esse é o valor maior’. A Heloísa não tinha ninguém. Tinha seu filho, com quem  brigava às vezes. Ela tentava encontrar uma felicidade que nunca vinha… Eu sentia que ela era muito sozinha e depressiva. Ela tentava acertar do jeito dela, mas era difícil. Faltava uma estrutura familiar e ela reclamava muito disso no programa. Existem pessoas que são tão inteligentes que não conseguem se encontrar na sociedade. Eu acho que ela era uma dessas pessoas”.

A carta de despedida deixada por Heloisa é de grande importância, uma vez que fornece informações sobre seu estado psicológico momentos antes de consumar o suicídio. A análise desses escritos pode determinar o grau de gravidade do transtorno mental, a impulsividade, os níveis de desesperança, problemas vitais, estratégias de enfrentamento e o grau de desespero. Da mesma forma, a valorização dos escritos também pode aquilatar a intenção letal que possa ter. Assim, nos casos em que é determinado que o ato suicida foi realizado com premeditação e planejamento, somos guiados por um paciente com um transtorno depressivo.

Para as famílias de suicidas fica a dor e o interesse em saber se a morte ocorreu de forma natural, acidental, provocada ou mediante violência.

Últimos versos deixados pela jovem R.I.P. que tinha apenas 19 anos:

“Se eu desistir de existir
não se assuste,
é só o início de um novo fim,
E assim, se não nascer o sol
não se preocupe,
eu estarei dentro de ti!

Não pense que é fácil para mim
mas eu tentei, por muito tempo eu tentei,
e agora abro mão e te juro de coração
Eu fiz de tudo para que o tudo não acabasse assim

Espero que seja melhor, espero estar correto,
Nessa vida eu não posso viver. estou cada vez mais perto
de sorrir, quando eu fechar meus olhos vou sorrir e enfim ser feliz

É o fim eu sei,
um dia ele chega pra todos nós,
Mas não quero esperar
que aconteça,
antes que eu me esqueça deixe eu te lembrar
te confortar, eu sei que assim vai ser melhor.”

JORGE LORDELLO

 


Dê sua opinião


Em nov/2016 circulou pela internet e através do WhatsApp, a foto de um apartamento no Rio de Janeiro pegando fogo. Um áudio alertava sobre o perigo em deixar carregador de bateria de celular na tomada. Posso garantir ao amigo leitor que o incêndio realmente aconteceu e...

9188

Em nov/2016 circulou pela internet e através do WhatsApp, a foto de um apartamento no Rio de Janeiro pegando fogo. Um áudio alertava sobre o perigo em deixar carregador de bateria de celular na tomada. Posso garantir ao amigo leitor que o incêndio realmente aconteceu e a fotografia divulgada é do local dos fatos. Fui a fundo nessa história e descobri que a causa do incêndio ainda é desconhecida pelos moradores do edifício e também pelos profissionais do Corpo de Bombeiros.

Conversei com diversos especialistas para saber se deixar carregador de celular eternamente na tomada é perigoso. As respostas foram inequívocas e unânimes: sim, é possível; e se estiver próximo de material inflamável poderá gerar incêndio de grandes proporções.

Portanto, essa prática não é recomendada. Carregadores de celulares funcionam como transformadores de energia, fazendo com que a corrente seja diminuída ao passar da tomada para o aparelho, ou seja, os 127 volts da tomada se tornam 5 volts para o celular. Qualquer falha que ocorra pode fazer com que o carregador transfira diretamente a corrente maior, causando choque ou superaquecimento do carregador; e também do celular, se estiver plugado.

Esse problema pode ocorrer por diversas razões, tais como:

1) Problema na rede elétrica da local

2) Sobrecarga de energia

3) Uso excessivo de benjamim, que é o acessório multiplicador de tomadas. Cada equipamento a mais ligado àquele ponto, onde apenas um era esperado, sobrecarregará a tomada e os fios, podendo, assim, superaquecer

4) Carregador não original e de fabricação duvidosa. Carregadores alternativos, vendidos normalmente em faróis, são bem mais baratos que os originais, mas será que vale a pena essa economia? O fato que merece atenção, é que alguns desses produtos não seguem as normas de segurança e padrões técnicos do Brasil, podendo gerar incompatibilidade com a rede elétrica brasileira e o consequente risco de acidente.


Dê sua opinião


Filmes de sequestro de avião são repletos de suspense e muita ação! Confira uma seleção de 5 filmes que selecionei:

6349

Um grande filme não precisa de muitos cenários ou locações grandiosas para conquistar o público. Existem muitas produções que fizeram um enorme sucesso se passando em apenas um espaço, uma casa, um banheiro ou um aeroporto. Mas algumas vão além e escolhem como cenário um avião.

Filmes de sequestro de avião são repletos de suspense e muita ação!
Assistir esses filmes é interessante para quem trabalha na aviação ter uma ideia do drama que é enfrentar um sequestro a bordo, e poderá auxiliar em medidas preventivas para que o avião em que esteja voando nunca seja sequestrado!

1. Sem Escalas

Estrelado por Liam Neeson, No longa, o ator vive um agente federal que está em um voo de Nova York a Londres e precisa entrar em ação quando um terrorista ameaça matar um passageiro a cada 20 minutos.

2. Vôo United 93 (United 93)

Inspirado em um acontecimento real, o longa mostra o sequestro de um avião. Mas os passageiros se unem para impedir o terrorista.

3. Con Air – A Rota da Fuga (Con Air)

Ter medo de andar de avião é muito comum, mas nada se compara ao nervoso de viajar em uma aeronave lotada com os maiores criminosos dos Estados Unidos. O filme tem no elenco grandes estrelas como Nicolas Cage, John Cusack, Steve Buscemi, Dave Chappelle, Danny Trejo e John Malkovich.

4. Força Aérea Um (Air Force One)

Harrison Ford vive um presidente dos Estados Unidos invencível neste thriller, que sozinho derrota os terroristas que sequestraram o avião presidencial.

5. Apertem os Cintos… O Piloto Sumiu (Airplane)

Uma comédia clássica e um dos filmes mais famosos, cuja história acontece dentro de um avião. Depois que a tripulação de um voo é envenenada, cabe ao ex-piloto Ted Striker (Robert Hays) a tarefa de fazer um pouso em segurança, mas ele tem medo de voar.


Dê sua opinião


Recentemente, um amigo, que não vejo há muitos anos, conseguiu meu número de celular e me adicionou no WhatsApp. A primeira mensagem que me enviou pelo aplicativo, foi a seguinte: “ Olá Lordello, tudo bem? aqui é o Orlando, estudamos juntos no colegial. Peguei seu fone com a...

6017

Recentemente, um amigo, que não vejo há muitos anos, conseguiu meu número de celular e me adicionou no WhatsApp. A primeira mensagem que me enviou pelo aplicativo, foi a seguinte:

“ Olá Lordello, tudo bem? aqui é o Orlando, estudamos juntos no colegial. Peguei seu fone com a Mariana, que mora perto da sua casa, mas não sei se o número é correto, pois não aparece sua foto no perfil ”.

Assim que recebi a mensagem, fui olhar a foto que constava no perfil do remetente e reconheci o amigo de escola. Após breve conversa pelo aplicativo, ele me fez a seguinte indagação:

“ Lordello, por que você não coloca sua foto no perfil; fica mais fácil ver que o telefone é realmente seu? ”

Minha resposta foi incisiva:

“ Recomendo que retire sua fotografia do perfil, onde, por sinal, você está em companhia de uma garotinha, que, provavelmente, é sua filha ”.

O amigo Orlando ficou curioso e retrucou:

“ Mas por que devo retirar minha foto do perfil do WhatsApp? qual o problema? ”

Fui curto e grosso:

“ Por questões de segurança pessoal ”.

Então, passei a explicar os motivos através de uma pergunta enigmática:

“ Caro amigo, quando alguém aperta a campainha da sua casa ou apartamento, você abre a porta imediatamente ou procura conversar com o estranho pelo interfone? ”.

“ Lordello, é claro que não abro a porta, não sei quem está querendo falar comigo ”.

Nesse momento concluí meu raciocínio:

“ Não permita que o aplicativo WhatsApp seja uma porta aberta de informações sobre sua vida. Com a popularização dessa ferramenta de comunicação, bandidos digitais criaram uma série de golpes visando obtenção de lucro financeiro. Portanto, manter foto pessoal no perfil ou inserir na fotografia imagem do(a) parceiro(a), filhos, veículo ou residência, é perigoso porque estará fornecendo informações preciosas que poderão ser usadas contra você ”.

Meu amigo de colégio agradeceu a dica de segurança e imediatamente retirou sua foto no aplicativo, onde estava na companhia da única filha, de 10 anos.

É importante compreender que para melhorar a segurança pessoal e familiar é preciso limitar ao máximo informações desnecessárias na internet.

Tenho recebido via WhatsApp mensagens de pessoas desconhecidas que desejam iniciar bate-papo com conversa fiada.

Sabe qual é minha resposta…

Na verdade, não retorno a mensagem, simplesmente oferto um sonoro “bloqueio”, assim garanto minha segurança. Preserve a sua também, retire imediatamente sua foto no perfil no WhatsApp.

JORGE LORDELLO

 


Dê sua opinião