Não exponha seu extrato bancário

Fui procurado por um conhecido que estava aterrorizado com as ameaças que recebera. Um homem com voz rouca ligou para ele de madrugada e proferiu a seguinte extorsão: “Tô sabendo que você tem a quantia de R$ 42.500,00 na poupança. Não quero todo seu dinheiro...

342

Fui procurado por um conhecido que estava aterrorizado com as ameaças que recebera. Um homem com voz rouca ligou para ele de madrugada e proferiu a seguinte extorsão: “Tô sabendo que você tem a quantia de R$ 42.500,00 na poupança. Não quero todo seu dinheiro não. Sou do PCC e estamos precisando de R$10.000,00. Você vai colaborar com a gente e fazer o depósito numa conta que vou lhe fornecer, senão vamos seqüestrar alguém da sua família”.
Ao saber do presente relato, tranqüilizei a vítima e expliquei que se tratava de um golpe promovido pelo famigerado telemarketing do crime. A pessoa se acalmou, mas levantou uma dúvida: “Mas como esse estelionatário descobriu o valor exato que tenho aplicado no banco?”.
Salientei que há várias maneiras de a marginalidade ter acesso a valores bancários, mas que o mais provável era ter sido através de seu extrato. Muitos crimes, como seqüestros, invasões a prédios e empresas, ameaças e extorsões foram planejados pelo vazamento de informações bancárias. Devemos ter extrema cautela ao lidar com o extrato bancário, e para tanto, seguem algumas orientações:

1. Ao abrir o extrato, jamais o deixe sobre a mesa de sua casa ou empresa, pois qualquer pessoa poderá bisbilhotar suas contas.
2. Guardar em uma gaveta também não é uma boa opção.
3. Ao jogar no lixo, mesmo rasgando-o, o correntista estará dando oportunidade que desconhecidos na rua tenham acesso a sua situação financeira. É de se frisar que muitos marginais têm o hábito de recolher lixo residencial para saber mais sobre a vida financeira das futuras vítimas.
4. Uma boa opção é destruir os extratos e documentos importantes em fragmentadores de papéis.
5. Receber extratos bancários na portaria de condomínios ou empresas é correr o risco de extravio.
6. Algumas pessoas preferem centralizar o recebimento de correspondência em uma caixa postal de correio.
7. As mais cautelosas retiram o extrato bancário na própria agência ou simplesmente inibem o recebimento, pois preferem fazer a consulta pela internet.

Portanto, tenha mais cuidado com suas informações financeiras, antes que os malandros invadam sua privacidade.


Dê sua opinião