O perigo de curtir e compartilhar mensagens ofensivas nas redes sociais

Todo mundo sabe, que caluniar, injuriar ou difamar alguém é considerado crime e pode redundar em processo criminal. A vítima pode, ainda, entrar na área cível com ação de ressarcimento por danos morais e materiais. Por isso, muita gente, para evitar aborrecimentos com a Polícia e...

176

Todo mundo sabe, que caluniar, injuriar ou difamar alguém é considerado crime e pode redundar em processo criminal. A vítima pode, ainda, entrar na área cível com ação de ressarcimento por danos morais e materiais. Por isso, muita gente, para evitar aborrecimentos com a Polícia e a Justiça, não fala em público o que pensa sobre um eventual desafeto. O curioso, é que o mesmo não ocorre no mundo virtual. Vamos supor que o leitor receba e-mail contendo brincadeiras ofensivas contra pessoa conhecida ou desconhecida. Ao repassar a correspondência digital, estará praticando o mesmo delito daquele que lhe enviou a mensagem. Recentemente, por meio de postagem no Facebook, um veterinário foi acusado de negligência. O caso envolvia uma cadela que seria cadastrada. A dona no animal teceu duras críticas ao médico, mas não comprovou o alegado. Duas amigas “curtiram” e “compartilharam” o recado. O veterinário resolveu entrar na Justiça, que proferiu decisão inédita, que já se tornou jurisprudência, a qual, condenou as pessoas que concordaram com as ofensas ou ajudaram a dar mais visibilidade a pagarem indenização no valor de R$ 20 mil. Se o leitor tem filho menor de idade, deveria alertá-lo e mostrar regras de ética na rede mundial de computadores, pois se ele as infringir, os pais é que terão que arcar com os prejuízos financeiros. É muito comum em salas de bate-papo e nas redes sociais, encontrarmos internautas destilando veneno e atingindo a honra das pessoas. Aquele que se sentir ofendido de alguma forma poderá acionar a polícia civil visando punir criminalmente o autor e, ainda, exigir ressarcimento através do poder judiciário.


Dê sua opinião