Pais: como preservar a autoestima da criança?

Principalmente durante a chamada primeira infância, ou seja, até os sete anos de idade, pais devem tomar uma série de cautelas para não comprometerem a autoestima dos filhos. Em eventos para pais, procuro passar a seguinte lição de casa: “Critique o comportamento, não a criança,...

704

Principalmente durante a chamada primeira infância, ou seja, até os sete anos de idade, pais devem tomar uma série de cautelas para não comprometerem a autoestima dos filhos.
Em eventos para pais, procuro passar a seguinte lição de casa:
“Critique o comportamento, não a criança, e elogie a criança, não o comportamento”.
Para explicar melhor essa estratégia, criei a “Técnica do Sanduíche”. Como você sabe, montar um sanduíche é fácil: basta colocar pão, recheio e pão, nessa ordem. Então, você pega uma fatia de pão e, se o sanduíche for de queijo, você coloca queijo; se for de presunto, coloca presunto; se for de queijo, presunto e maionese, você coloca queijo, presunto e maionese; e assim por diante. Depois de colocado o recheio, você põe outra fatia de pão por cima e está pronto!
Pela técnica do sanduíche, para educar seu filho e preservar a autoestima dele, considere que o pão é o elogio e a repreensão o recheio. Colocar essa técnica em prática é muito simples. Se seu filho deixou os brinquedos espalhados na sala em vez de guardá-los na hora que você o chamou para tomar banho, converse com ele. Comece elogiando alguma de suas habilidades (diga, por exemplo, o quanto ele é bom para resolver quebra-cabeças ou como é hábil nas montagens de Lego). Depois, critique o comportamento reprovável, dizendo que ele fez uma coisa errada e explique como fazer corretamente. Conclua dizendo que ele é um garoto muito organizado e que você aprecia muito essa sua qualidade.
Se sua filha, uma garotinha muito comunicativa e inteligente, brigou com a amiguinha na escola, converse com ela. Comece elogiando a facilidade que ela tem em fazer amigos, critique a atitude dela em relação à amiga e encerre o assunto elogiando sua inteligência. A importância dessa técnica, é que a conversa começa bem e termina bem. Ou seja, o espírito da criança é preparado pelo elogio para ouvir a repreensão e para não guardar mágoa da repreensão. Ao ser elogiada antes de ser repreendida, a criança se desarma. Mesmo que tenha consciência de que fez algo errado e que será repreendida por isso, ao receber um elogio ela perde a postura defensiva e torna-se mais receptiva. E ao ser elogiada depois da repreensão, a criança é preparada para que não seja afetada sua autoestima.
É como se ela pensasse assim:
“A mamãe gosta de mim. Eu fiz um serviço malfeito e a mamãe não gostou do que eu fiz. Mas ela continua gostando de mim”.


Dê sua opinião