Para evitar assalto, quais cautelas devo tomar antes de autorizar entrada de prestador de serviço no prédio ou casa em que moro?

Imagine a seguinte situação dramática, que pode acontecer no seu apartamento ou residência: você solicita visita técnica de empresa de TV a Cabo ou qualquer outro tipo de serviço. Em determinado horário, tocam sua campainha ou interfone comunicando a presença do profissional esperado. Você autoriza a...

294

Imagine a seguinte situação dramática, que pode acontecer no seu apartamento ou residência: você solicita visita técnica de empresa de TV a Cabo ou qualquer outro tipo de serviço. Em determinado horário, tocam sua campainha ou interfone comunicando a presença do profissional esperado. Você autoriza a entrada e quando ele adentra ao seu lar ao invés de retirar da mala uma ferramenta, saca arma de fogo e anuncia assalto.

Essa prática para invasão tem se tornado cada vez mais frequente pelo Brasil. Não podemos esquecer ainda dos porteiros mal treinados, que permitem a entrada de pessoas vestindo uniformes e que pleiteiam realizar algum conserto ou manutenção no edifício, mesmo sem terem sido solicitados ou autorizados pelo síndico ou zelador. São enganados, liberam o ingresso e em seguida são facilmente rendidos.

Moradores do Edifício Solar da Praia, localizado em Ipanema, Zona Sul do Rio, viveram momentos de tensão ao serem mantidos reféns durante um assalto que começou pela manhã e durou cerca de duas horas. Os criminosos conseguiram entrar no prédio depois que um deles se identificou como funcionário da Companhia Distribuidora de Gás do Rio de Janeiro (CEG). O porteiro abriu a porta da garagem e ele entrou acompanhado por outros dois homens.

“Fui rendido quando voltava da praia. O porteiro e outros moradores estavam sendo mantidos reféns. Ainda tentei voltar para a rua, mas não consegui. Fui obrigado a levá-los até o meu apartamento, que fica no primeiro andar. Eles levaram os outros reféns para lá também. Os moradores foram divididos em dois grupos e ficaram em quartos separados”, revelou o morador Elias Mansur, dizendo que um pedreiro que trabalhava em uma obra em seu apartamento chegou a ser agredido com uma coronhada no nariz.

Devido ao aumento de assaltos em condomínios, cometidos por bandidos fingindo ser funcionários, diversas empresas resolveram criar regras de segurança para facilitar o trabalho de triagem de porteiros de prédios e moradores de residenciais.

Uma estratégia muito positiva, é a que determina que quando o cliente marca uma visita técnica, recebe pelo WhatsApp a foto do técnico e uma senha, que o funcionário deve informar na portaria do edifício para provar sua identidade antes de ser liberada sua entrada.

Portanto, fica a dica ao amigo leitor que quando solicitar algum tipo de conserto em seu local de moradia, comunique à empresa contratada sobre sua preocupação com possível assalto e se possuem alguma forma de identificação do colaborador de forma segura. Se a empresa não tiver esse tipo de preocupação e isso o deixar desconfortável em receber um estranho em seu lar, busque no mercado outra empresa, que além de prestar bom serviço, atenda também suas necessidades no que tange a segurança.


Dê sua opinião