PESSOAS QUE DEFENDEM FERRENHAMENTE A MENTIRA DOS OUTROS.

Conta uma parábola judaica que certo dia a Mentira e a Verdade se encontraram. A Mentira disse para a Verdade: “ Bom dia, dona Verdade ”. E a Verdade foi conferir se realmente era um bom dia. Olhou para o alto, não viu nuvens de...

609

Conta uma parábola judaica que certo dia a Mentira e a Verdade se encontraram.

A Mentira disse para a Verdade:

“ Bom dia, dona Verdade ”.

E a Verdade foi conferir se realmente era um bom dia. Olhou para o alto, não viu nuvens de chuva e vários pássaros cantavam. Comprovando que realmente era um bom dia, respondeu para a Mentira:

“ Bom dia, dona Mentira ”.

“ Está muito calor hoje ”, disse a Mentira.

E a Verdade, vendo que a Mentira falava a verdade, relaxou. A Mentira, então, convidou a Verdade para se banharem no rio. Despiu-se de suas vestes, pulou na água e disse:

“ Venha dona Verdade, a água está uma delícia ”.

E assim que a Verdade, sem duvidar da Mentira, tirou suas vestes e mergulhou, a Mentira saiu da água, vestiu-se com as roupas da Verdade e foi embora. A Verdade, por sua vez, recusou-se a vestir-se com as vestes da Mentira, e por não ter do que se envergonhar, saiu nua a caminhar pelas ruas.

Aos olhos das pessoas, é mais fácil aceitar a Mentira vestida de Verdade, do que a Verdade nua e crua.

No cotidiano, essa parábola se faz muitas vezes presente. De um lado, encontramos pessoas que criam mentiras mirabolantes, e é claro, sempre com algum interesse escuso.

No entanto, também encontramos pessoas que preferem acreditar na Mentira a terem que enfrentar a Verdade. É assim que a Mentira se multiplica.

E o pior, aquele que acredita na Mentira, defende com unhas e dentes o mentiroso.

O amigo leitor deve compreender que a Verdade sempre se apresenta nua, enquanto a Mentira precisa de muitas vestes. Quando alguém conta alguma coisa que não é verdade, tem que se utilizar de outras mentiras para sustentar a mentira principal. E nesse emaranhado de negatividade, acredita quem quiser…

                                                         JORGE LORDELLO

 


Dê sua opinião