Por que o mesmo fato pode trazer dor para uns e aprendizado para outros?

Problemas, revezes e adversidades acontecem com todas as pessoas. O admirável, é que cada uma reage e interpreta de maneira totalmente diversa. Mas por que isso acontece? Essa resposta é a intenção deste artigo! Numa viagem de final semana ao litoral, levantei cedo e fui...

340

Problemas, revezes e adversidades acontecem com todas as pessoas. O admirável, é que cada uma reage e interpreta de maneira totalmente diversa. Mas por que isso acontece? Essa resposta é a intenção deste artigo!

Numa viagem de final semana ao litoral, levantei cedo e fui relaxar na piscina do hotel. Inicialmente, sob a sombra de uma árvore do maravilhoso jardim do local, passei a me dedicar à leitura de um livro muito interessante, que versava sobre psicologia criminal. Logo em seguida, um dos hóspedes resolveu entrar na água e me chamou atenção porque ficou boiando por bastante tempo; parecia que meditava com os olhos fechados. Mais tarde, outra pessoa entrou na piscina, mas ficava apenas na borda, segurando na escadinha. Imaginei que não soubesse nadar, mas na posição que estava, a água dava em sua cintura e mesmo assim o medo era latente. Em seguida, outra pessoa se aproximou, sentou-se na beirada e ficou balançando as pernas que tocavam na água. Acreditei que em breve daria um mergulho, mas isso não aconteceu. Curioso com a situação, fiz a seguinte pergunta:

“Por que não entra na água para se refrescar? O sol está muito forte!”

A resposta foi esclarecedora:

“Eu não sei nadar, há 8 anos quase me afoguei mesmo no raso. Depois desse dia nunca mais ousei em entrar numa piscina e nem no mar”.

Enquanto as águas da piscina relaxam alguns, atemorizam outros!

Portanto, o perigo não está na água e sim na maneira como passamos por essa experiência.

Vamos a outro exemplo!

A traição pode ser libertadora; o traído se vê livre de quem não era fiel. No entanto, também pode gerar trauma e prejudicar em futuros relacionamentos, pois a sombra da traição sempre estará na mente.

 

 

CONCLUSÃO:

Na vida, não importa o que acontece com você e sim como você reage ao que acontece com você!

Enquanto um reclama de algo que o fez sofrer, o outro agradece. Enquanto um se apavora, outro ora. Enquanto um fala mais do que deve, o outro silencia.

Situações parecidas, reações diversas.

Muitas vezes, não podemos impedir o que acontece com a gente, mas podemos sempre controlar as reações e interpretações de fatos que, inicialmente, trouxeram dor ou desconforto e, assim, tê-los no futuro como experiências valiosas de vida.


Dê sua opinião