POR QUE TANTOS HOMENS MATAM PARCEIRAS AMOROSAS E SEXUAIS NO BRASIL?

Um terço das mulheres assinadas no Brasil foram vítimas dos próprios companheiros. Na terra brasilis, a cada uma hora morre uma mulher vitimada pelo próprio marido, companheiro, namorado ou parceiro sexual.  O Brasil ocupa o quinto lugar num ranking de 83 países com os maiores...

232

Um terço das mulheres assinadas no Brasil foram vítimas dos próprios companheiros.

Na terra brasilis, a cada uma hora morre uma mulher vitimada pelo próprio marido, companheiro, namorado ou parceiro sexual.

 O Brasil ocupa o quinto lugar num ranking de 83 países com os maiores índices de feminicídio.

O que nosso legislador federal fez para tentar frear essa matança conjugal?

Aprovada em março de 2015, a Lei do Feminicídio qualifica como crime a violência doméstica e familiar, menosprezo ou discriminação à condição da mulher. Na prática, ocorreu um pequeno aumento de pena, que não gerou temor aos homens com índole homicida, pois o volume de mortes vem aumentando.

É importante as mulheres saberem das principais causas ou motivos que levam homens a tirar a vida de mulheres com as quais mantém algum tipo de relacionamento amoroso ou sexual:

 

RANKING

1) CIÚMES

2) TRAIÇÃO

3) GUARDA DE FILHO

4) NÃO QUERER FAZER ABORTO

5) NÃO ACEITAR SEPARAÇÃO

6) AMIGAS QUE INFLUENCIAM O RELACIONAMENTO DO CASAL

Geralmente, as mortes não ocorrem no início do relacionamento. Sinais exteriores de violência do homem são apresentados aos poucos, de forma gradativa. Pode começar com aumento no tom de voz, arrancada abrupta com o carro, um empurrão ou uma  discussão acalorada, até o dia que vem o primeiro tapa ou agressão física.

Depois de cada incidente mais grave, vem o pedido de perdão, às vezes, regado de muita choradeira para tentar convencer a mulher que o relacionamento vai melhorar. Presentes são enviados como forma de desculpas. Promessas de viagens também podem ser argumento de mudanças de comportamento daí pra frente.

No entanto, a tendência não é melhorar e sim aumentar o nível de agressividade e possessividade.

Oriento as mulheres que estão vivenciando esse tipo de problema no relacionamento e que estão com medo que algo mais grave aconteça, que uma boa opção é buscar orientação ligando para o fone 180, criado pelo Governo Federal em 2005. É um canal direto de orientação sobre direitos e serviços públicos para a população feminina em todo o país. É a porta principal de acesso aos serviços que integram a rede nacional de enfrentamento à violência contra a mulher.

                                                                             JORGE LORDELLO


Dê sua opinião