Poucos motoristas sabem, mas fugir de local de acidente de trânsito, mesmo sem vítima, é crime

Recentemente, um amigo me ligou chateado; havia deixado o carro estacionado numa rua para atender um cliente e quando retornou a lateral estava toda amassada. Ele comentou que o carro não tinha seguro e que estava sem condições de providenciar o conserto, pois o estrago...

267

Recentemente, um amigo me ligou chateado; havia deixado o carro estacionado numa rua para atender um cliente e quando retornou a lateral estava toda amassada. Ele comentou que o carro não tinha seguro e que estava sem condições de providenciar o conserto, pois o estrago havia sido grande, haja vista, que uma das rodas fora prensada na guia e por isso não era possível locomovê-lo do local.

Fiquei revoltado com o relato e ofertei a seguinte sugestão:

“Vá ao local do acidente e veja se existe alguma câmera de segurança. Pode ser que foi registrada a placa do automóvel que bateu em seu carro. Assim será possível localizar o motorista que deixou o local para esquivar-se de arcar com os prejuízos financeiros gerados”.

O interessado fez o que recomendei e com certa facilidade conseguiu levantar os dados do veículo, pois do outro lado da rua existia condomínio com várias câmeras de segurança apontadas para a área externa.

Com essa informação ofertei ao amigo a segunda orientação:

“Dirija-se à delegacia de polícia mais próxima do local do acidente e registre Boletim de Ocorrência”.

Rapidamente veio a dúvida:

“Mas Lordello, você não está entendendo, não ocorreu crime algum; ninguém se feriu no evento”.

Aproveitei a deixa para dar a seguinte explicação, que pode ser valiosa para o leitor também:

“O art. 305 do Código Nacional de Trânsito prevê como crime a conduta de “afastar-se o condutor do veículo do local do acidente para fugir à responsabilidade penal ou civil que lhe possa ser atribuída”. A pena é de detenção de seis meses a um ano ou multa”.

Após agradecer a explicação, ele foi imediatamente ao distrito policial, onde formulou o registro e solicitou a devida instauração de inquérito policial para apuração da autoria dos fatos.

Passados 15 dias ele me ligou contente da vida com as novidades:

“Lordello, você não vai acreditar, o dono do carro responsável pelo acidente me ligou após ser intimado pela delegacia; quer arcar com todos os prejuízos. Ele já indicou a oficina e vai pagar tudo, além de me alugar carro até que o conserto fique pronto, assim posso voltar a trabalhar”.

Portanto, aquele que promove acidente de trânsito não deve ausentar-se do local antes de tentar localizar o proprietário do auto acidentado. Se porventura não for possível, recomendo duas ações proativas:

1) Deixar bilhete no para-brisa explicando o ocorrido e informar contato telefônico e e-mail. Em seguida tire fotografia do procedimento realizado, pois pode servir como meio de prova que realmente tentou procurar o dono do carro acidentado;

2) Ligar para o fone 190, relatar o ocorrido e indagar o local mais próximo para registrar ocorrência versando sobre acidente de trânsito sem vítima. Assim, ficará isento de no futuro responder por crime capitulado no Código Nacional de Trânsito.


Dê sua opinião