QUAL PESO É MAIS FÁCIL PERDER, O CORPORAL OU O EMOCIONAL?

Um homem estava na margem de um rio e queria passar para o outro lado. A correnteza era muito forte; seria impossível atravessar a nado. Foi quando viu uma pequena canoa presa na vegetação ribeirinha. Rapidamente colocou-a n’água e pôs-se a remar, atingindo rapidamente a...

428

Um homem estava na margem de um rio e queria passar para o outro lado. A correnteza era muito forte; seria impossível atravessar a nado. Foi quando viu uma pequena canoa presa na vegetação ribeirinha. Rapidamente colocou-a n’água e pôs-se a remar, atingindo rapidamente a outra margem.

Assim que botou os pés em terra firme, pegou a canoa, colocou-a nas costas e partiu em direção à floresta. Algumas pessoas que acompanharam o ocorrido, espantadas com a atitude inesperada, lhe perguntaram:

” Por que você colocou a canoa nas costas? De que ela lhe servirá agora que já atravessou o rio? “

O rapaz, suado e cansado do esforço em carregar a embarcação nas costas, respondeu:

” Esta canoa me ajudou muito a atravessar o rio. Eu não posso abandoná-la. Espero que agora ela me ajude também a atravessar a floresta “.

Amigo leitor, muita gente age desse jeito na vida; se apega ao passado transformando-o em um pesado fardo.

Na verdade, temos dois pesos na vida: um deles é fácil de ser mensurado, é só subir na balança da farmácia; o outro é o peso emocional, gerado por traumas e experiências negativas adquiridas no passado e transportadas para o presente.

A pessoa obesa torna-se mais lenta ao caminhar, pois o peso que tem que carregar é maior que o recomendado pelos médicos.

Já o peso emocional negativo faz, muitas vezes, com que a pessoa sequer caminhe; a dor e o sofrimento são tão grandes que a tendência é paralisia ou até andar para trás.

JORGE LORDELLO


Dê sua opinião