VOCÊ ACREDITA EM LUCRO FÁCIL SEM PRECISAR TRABALHAR?

Um internauta me enviou e-mail entusiasmado com mensagem que havia recebido de desconhecido, com os seguintes dizeres: ” Eu sou a Sra. Charlotte C olombe, uma viúva de quase oitenta anos que sofre de grave doença degenerativa. Minha única filha, Bernadette, faleceu em acidente automobilístico e desde então estou internada...

597

Um internauta me enviou e-mail entusiasmado com mensagem que havia recebido de desconhecido, com os seguintes dizeres:

” Eu sou a Sra. Charlotte C

olombe, uma viúva de quase oitenta anos que sofre de grave doença degenerativa. Minha única filha, Bernadette, faleceu em acidente automobilístico e desde então estou internada em um hospital privado. Tenho alguns fundos que herdei do meu amoroso marido, Gabriel Colombe, que somam aproximadamente US$ 2.500.000 e estão depositados em um banco na Costa do Marfim. Preciso de uma pessoa honesta e temente a Deus que possa usá-los para o trabalho do Senhor. Decidi doar para uma organização de caridade, casas orfanatos e ajuda humanitária, de acordo com o desejo expressado por meu marido antes de sua morte. Sua compensação por fazer esse trabalho de Deus, será de 20% da renda de todo o patrimônio. Por favor, se puder usar esses fundos para ajuda humanitária, responda gentilmente. A sua Irmã no Senhor, Charlotte Colombe ”.

O internauta queria saber se deveria responder a essa solicitação, apesar de ser evidente tratar-se de um golpe. Esse tipo de oferta, que não é incomum, mesmo que revestida de ínfima possibilidade de sucesso, leva algumas pessoas a acreditar no improvável, assim, acabam se tornando vítimas de golpistas.

A finalidade desse golpe é levar incautos a depositar certa quantia em dinheiro, que corresponderia a impostos pela generosa doação. Após o depósito, o malandro para de enviar e-mails ou mensagens pelo smartphone. Conheço algumas pessoas que caíram em golpes parecidos; além do prejuízo financeiro, adquiram problemas emocionais graves. Portanto, jamais acredite em lucro fácil sem esforço.

                                                                                       JORGE LORDELLO


Dê sua opinião