Campainha tocou: cuidado

A criatividade dos assaltantes não têm fim, mas a ingenuidade das vítimas… Tenho alertado dos perigos de se atender a campainha da residência sem as devidas precauções. A marginalidade tem inventado uma série de golpes para adentrar na casa das pessoas sem fazer alarde. Por...

282

A criatividade dos assaltantes não têm fim, mas a ingenuidade das vítimas… Tenho alertado dos perigos de se atender a campainha da residência sem as devidas precauções. A marginalidade tem inventado uma série de golpes para adentrar na casa das pessoas sem fazer alarde. Por isso, devemos sempre confiar; desconfiando. Uma nova armadilha tem sido muito usada: Um malandro se apresenta como funcionário da Telefônica, Sabesp, Companhia de Luz, etc., alegando ter que fazer um reparo urgente dentro da residência. A vítima, apesar de não ter solicitado nenhum tipo de conserto, acaba permitindo sua entrada. Enquanto finge trabalhar, ele fica de olho nos pertences da proprietária; principalmente sua bolsa. Em dado momento, pede um copo de água ou uma ferramenta, e com a ausência da vítima, rapidamente subtrai cartões de crédito, de bancos, dinheiro, talões de cheques, aparelho celular … Pessoas da terceira idade, têm sido o alvo predileto dessas quadrilhas organizadas. É de se lembrar que os condomínios também devem ter cuidado. Recentemente, num bairro nobre de São Paulo, um homem muito bem vestido, se apresentou pela manhã na portaria de um edifício. Pelo interfone, identificou-se como gerente de uma nova pizzaria do bairro e solicitou ao porteiro que distribuísse a propaganda de seu negócio em todos os apartamentos, em troca, no período noturno, traria duas pizzas de presente. No mesmo dia, por volta das 22 h, a mesma pessoa surge na frente da guarita, segurando caixa apropriada para carregar pizzas. O porteiro, todo entusiasmado, acionou a abertura do portão. O entregador, ao invés de retirar pizzas da caixa, sacou uma pistola e o rendeu, permitindo em seguida, a entrada de seus comparsas, que praticaram, com extrema facilidade, um arrastão no condomínio. Insisto com o amigo leitor, para que tenha extrema cautela no atendimento de estranhos em seu lar. Oriente seus familiares a jamais fazer favores na porta de casa. Desconfie sempre de visitas inesperadas. Atenda a campainha pela porta ou janela. Jamais aproxime-se do portão, pois assim você será facilmente dominado. Ao atender a porta ou telefone, nunca diga que está só. Ao pressentir perigo, ligue imediatamente para o fone 190 e solicite uma viatura para averiguar os suspeitos. Um filósofo já dizia que “não devemos correr riscos que podemos evitar”


Dê sua opinião