LORDELLO MOSTRA PREOCUPAÇÃO COM NOVOS MUROS DE CONDOMÍNIOS.

Alguns dos prédios residenciais que foram entregues nos últimos meses na cidade de São Paulo, têm algo em comum: as condições de segurança condominial que apresentam são preocupantes. Já publiquei muitos artigos mostrando erros inconcebíveis de algumas construtoras quanto a esse tema tão importante para...

1002

Alguns dos prédios residenciais que foram entregues nos últimos meses na cidade de São Paulo, têm algo em comum: as condições de segurança condominial que apresentam são preocupantes.

Já publiquei muitos artigos mostrando erros inconcebíveis de algumas construtoras quanto a esse tema tão importante para os moradores desses empreendimentos imobiliários.

A péssima novidade que está sendo lançada no mercado imobiliário, é a utilização de gradis em determinadas áreas perimetrais feitas de muros de alvenaria. É como se fosse um recorte, ou seja, o muro é interrompido e em seu lugar coloca-se gradil, permitindo, assim, plena visão do interior da edificação num espaço de 5 a 8 metros.

Mas qual a intenção dos projetistas com esse tipo de estratégia?

No âmbito da segurança, não existe nenhum benefício. Muito pelo contrário, ao permitir plena visão do interior do condomínio e, consequentemente, identificação e rotina de moradores e funcionários, aumentará a possibilidade de êxito em invasão criminosa.

No centro de São Paulo, em região frequentada por muitos crackeiros, assaltantes e moradores de rua, um prédio recém-entregue, situado em uma esquina, tem uma das laterais com duas áreas recortadas no muro de alvenaria, nas quais foram instalados gradis.

Fiz questão de parar meu carro para observar com maior precisão essa nova modalidade arquitetônica no perímetro. Pude ver no interior do prédio áreas de lazer para crianças e jovens, equipadas com uma pequena quadra poliesportiva e espaço para crianças brincarem em gangorra, escorregador e outros apetrechos infantis, além de um gramado para ser utilizado por animais de estimação.

Inicialmente, é importante frisar, que se essa fachada fosse totalmente feita de muro de alvenaria, jamais teria obtido essa informação.

Com o gradil, além de ver o que está acontecendo do lado de dentro do edifício, consegui ainda identificar outros perigos:

  • Possibilidade de ameaça a morador através de arma de fogo ou faca;
  • Arremesso de lixo, objeto perfuro contundente ou  alimento estragado ou contaminado, que possa ser pego por criança ou animal doméstico;
  • Risco de no horário noturno marginal introduzir macaco de veículo e abrir espaço no gradil para penetração sub-reptícia;
  • Possibilidade de pessoas suspeitas obterem informações sobre movimentação de pessoas nessa localidade interna

Antes de qualquer invasão a prédio promovida por quadrilha especializada, é comum os marginais realizarem “ análise de risco ”, ou seja, perambulam nas proximidades do condomínio com o objetivo de avaliarem possíveis fragilidades e vulnerabilidades.

Portanto, sou absolutamente contra qualquer tipo de recorte em muros de alvenaria para instalação de faixa com gradil, principalmente nas laterais e fundo do empreendimento. Como especialista em segurança condominial é preciso alertar que o gradil sempre será uma proteção perimetral mais frágil e vulnerável que o muro.

Tenho orientado amigos que moram em casas e que ficam preocupados com a visibilidade da área interna permitida pelo gradil, a instalarem chapas de ferro.

Quanto menos informações  marginais tiverem do interior do local de moradia, maior a probabilidade de desistirem do intento criminoso.

 

 JORGE LORDELLO

 


Dê sua opinião