MULHER PRESA EM FLAGRANTE COM 8 ARMAS FOI SOLTA EM MENOS DE 24H.

  O crime aconteceu em Maceió e ganhou notoriedade nas redes sociais. Na madrugada de sábado (12.08.2017), policiais militares, depois de receberem denúncia anônima, foram até a casa de Maria Cícera Oliveira Lima Santos e encontraram 8 armas de fogo escondidas no forro. Ela recebeu voz de...

763

 

O crime aconteceu em Maceió e ganhou notoriedade nas redes sociais.

Na madrugada de sábado (12.08.2017), policiais militares, depois de receberem denúncia anônima, foram até a casa de Maria Cícera Oliveira Lima Santos e encontraram 8 armas de fogo escondidas no forro.

Ela recebeu voz de prisão e foi encaminhada à delegacia de polícia local, onde foi autuada em flagrante delito, sem direito a fiança.

Conforme determinação do Supremo Tribunal federal, a presa foi levada em menos de 24 horas após a prisão para participar da chamada “Audiência de Custódia”.

Vale ressaltar, que o instituto da audiência de custódia está regulamentado por resolução do Conselho Nacional de Justiça, desde 2015.

Durante a audiência, o juiz analisará a prisão sob os aspectos da legalidade, da necessidade e da adequação da continuidade da prisão ou da eventual concessão de liberdade, com ou sem a imposição de outras medidas cautelares. O juiz poderá avaliar também eventuais ocorrências de tortura ou de maus-tratos, entre outras irregularidades.

A sessão no Fórum local durou poucos minutos e Maria Cícera Oliveira Lima Santos ganhou liberdade e retornou para a mesma residência onde os 8 revólveres ilegais foram localizados.

No dia seguinte, os policiais militares ficaram sabendo que a mulher detida com as armas havia sido liberada. Não acreditando na informação, resolveram conferir presencialmente. Ao chegarem na casa de Cícera, surpresos em vê-la leve, livre e solta, resolveram, como forma de indignação, gravar um vídeo, que viralizou nas redes sociais.

O Juiz que concedeu a liberdade se manifestou após tomar ciência do vídeo, que estava bombando na internet:

“ Foi concedido alvará de soltura para a acusada em conformidade com a legislação brasileira, tendo em vista que a cidadã é primária, não tem registro de passagem pela polícia ou antecedentes criminais, possui residência e trabalho fixos e possui uma filha menor de idade. As armas foram encontradas em sua casa, mas a mulher alegou que seriam de seu namorado, que possuiria as chaves da residência. O juiz ressalta, ainda, que o próprio Ministério Público de Alagoas opinou pela soltura ”.

Os policiais que prenderam Cícera discordam frontalmente da versão da detida. Ele alegam que a mulher é responsável pelo aluguel das armas para bandidos.

Quantas vítimas será que essas armas já ameaçaram, mataram ou assaltaram?

Discordo da decisão judicial que colocou em liberdade mulher autuada em flagrante em posse de tantas armas de fogo. O ato praticado por Cícera é grave. É por causa de tantas armas ilegais circulando pelo Brasil que mais de 60 mil pessoas são assassinadas por ano, verdadeiro recorde mundial, que muito nos envergonha.

Cícera não é colecionadora de armas.

Cícera não é atiradora profissional devidamente registrada nos órgãos competentes.

Cícera não tem documentação legal para comercializar armas de fogo.

Cícera não apresentou versão convincente por esconder, de forma sorrateira, revólveres que tem ciência serem ilegais, ou seja, produtos de crime.

Cícera não localizou o tal namorado no momento da prisão para dar explicações e corroborar sua versão.

Portanto, na minha opinião, Cícera deveria continuar presa em razão da gravidade dos fatos.

A comunidade local estaria com mais segurança e não seria gerado sentimento de impunidade em todo Brasil.

JORGE LORDELLO


Dê sua opinião