O primeiro degrau para mudar é o reconhecimento

Responda rapidamente: prefere assumir responsabilidades quando as coisas não vão bem ou coloca a culpa em terceiros ou nas circunstâncias?  Observe abaixo colocações muito comuns quanto ao tema: “Meu chefe não reconhece meu potencial”. “Minha esposa não valoriza minha dedicação à família”. “A situação econômica...

450

Responda rapidamente: prefere assumir responsabilidades quando as coisas não vão bem ou coloca a culpa em terceiros ou nas circunstâncias?  Observe abaixo colocações muito comuns quanto ao tema:

“Meu chefe não reconhece meu potencial”.

“Minha esposa não valoriza minha dedicação à família”.

“A situação econômica atual do Brasil me prejudicou demais”.

“Os políticos são culpados por tudo que acontece de ruim”.

Para alguns, parece que é mais fácil transferir responsabilidades aos outros do que assumir. Nossas escolhas direcionam nossos caminhos, e vou logo advertindo que não é boa ideia falar em culpa ou se crucificar pelas escolhas que não tiveram os resultados esperados. Erros e decisões equivocadas ou mal planejadas fazem parte da vida; quando as superamos, a tendência é rir delas.

O livre arbítrio nos mostra que se não estamos satisfeitos com os resultados alcançados, basta redirecionar as atitudes que, consequentemente, a rota será alterada e novos resultados virão; bons ou ruins. Diante deste preâmbulo, a palavra chave é autoresponsabilidade. Assim, vou mostrar as 6 leis que a regem:

  1. a) Se é para criticar os outros, cale-se
  2. b) Ao invés de reclamar, oferte sugestão
  3. c) Se é para apontar culpados, prefira buscar solução
  4. d) Se é para se fazer de vítima, faça-se de vencedor
  5. e) Ao invés de justificar seus erros, aprenda com eles para não repeti-los nunca mais.
  6. f) Se é para julgar as pessoas, julgue as suas atitudes.

Na vida, as coisas só mudam se mudarmos e não resolvem os pensamentos limitantes e paralisantes tais como:

“Eu vou fazer isso quando acontecer aquilo”

“Eu só posso agir dessa forma, se…”

O escritor Gean Nascimento coloca os “pingos nos is” :

“O indivíduo que reclama a maioria do tempo, seja por qualquer motivo, demonstra um sinal inequívoco de que ainda não reconheceu sua responsabilidade frente aos acontecimentos. Somente através do  reconhecimento e abandono de hábitos que a pessoa passa a ser o gestor de sua própria existência! Você está onde se coloca, o fato é que estamos a todo tempo mudando, não conseguimos nos fixar em nada porque a vida é um processo dinâmico, de um jeito ou de outro, nós temos a vida que merecemos! O que você tem plantado através de palavras, gestos e ações, serão os resultados que você colherá, por mais duro que seja. Lembre-se que toda reclamação é falta de identificação de ser o criador de sua própria obra”.

E para finalizar, lembre-se que a mudança é sempre passível, mesmo se for na forma de encarar um problema de difícil resolução.


Dê sua opinião