O QUE FAZER QUANDO MORADORES DE CONDOMÍNIOS NÃO RESPEITAM AS NORMAS DE TRÂNSITO NA GARAGEM?

Quando realizo palestras em condomínios verticais e horizontais, é comum síndicos reclamarem de moradores que trafegam com seus autos em velocidade muito acima do permitido no interior da garagem ou alamedas. A preocupação dos administradores é com a segurança dos pedestres, principalmente dos mais jovens....

318

Quando realizo palestras em condomínios verticais e horizontais, é comum síndicos reclamarem de moradores que trafegam com seus autos em velocidade muito acima do permitido no interior da garagem ou alamedas. A preocupação dos administradores é com a segurança dos pedestres, principalmente dos mais jovens. Em condomínios de casas, uma queixa recorrente é em relação a crianças e adolescentes que dirigem, dentro da área comum, carros e motos sem a devida habilitação.

Geralmente, quando o volume de reclamações aumenta, síndicos optam por melhorar a sinalização viária e instalar lombadas ou outro tipo de redutor de velocidade, isso para forçar os motoristas irresponsáveis a dirigir em baixa velocidade.

Recentemente, participei de evento noturno em condomínio grande na cidade de Santo André/SP, onde a síndica mostrou as diversas lombadas que foi obrigada a instalar devido a pressa de alguns moradores, que colocavam em risco a integridade física dos demais condôminos, como também de funcionários domésticos e do prédio. O pior, é que a administradora comentou que estava recebendo reclamações de alguns condôminos contrários à estratégia dos redutores de velocidade.

Postei no meu perfil no instagram, @jorgelordellosocial, vídeo com imagens de câmera de segurança instalada em garagem de prédio, que mostra, inicialmente, uma criança aparentando 8 anos de idade dirigindo bicicleta em velocidade excessiva. Em dado momento, corta a alameda preferencial e quase promove acidente com veículo de morador, que por sorte, vinha em velocidade baixíssima e conseguiu parar a tempo. Ocorre que logo em seguida, um outro garoto dirigia bicicleta na mesma direção; ao ver um automóvel passando na sua frente, perdeu o controle da bike e foi lançado para frente, deslizando em direção às rodas do carro. Por sorte e puro reflexo, o motorista conseguiu frear a tempo. A imagem mostra a cabeça do menino praticamente encostada na roda traseira. Alguns poucos centímetros e o garoto teria sofrido traumatismo craniano e, provavelmente, entraria em óbito.

Nos dois casos registrados na filmagem do sistema de CFTV, o pior somente não aconteceu pelo fato de os motoristas estarem dirigindo em velocidade baixíssima.

Portanto, o síndico não pode se omitir, se render ou se deixar intimidar por moradores que desejam, a todo custo ou na marra, infringir normas e procedimentos de segurança de trânsito. O administrador competente e profissional deve implementar sinalização conforme as regras de trânsito e instalar redutores de velocidade, quando for necessário.

Outra estratégia importante, é criar sistematicamente campanhas de segurança através do envio de informações via e-mail, SMS e pelo WhatsApp dos moradores, bem como fixação de cartazes e banners nas áreas comuns do condomínio. Por último, irregularidades praticadas por condutores de autos, constatadas através de denúncias de moradores, empregados do local ou pelas imagens do circuito de CFTV, devem ser objeto das devidas punições, a serem aplicadas pelo síndico, que ainda deve promover conversa reservada com o motorista afoito, objetivando convencê-lo a seguir as regras a bem da coletividade.

                                                              JORGE LORDELLO

 

 


Dê sua opinião