SE VOCÊ NÃO GOSTA DE MUDANÇAS, TENHO UMA PÉSSIMA NOTÍCIA PARA LHE DAR.

Não faz muito tempo, pessoas diziam frases assim: “ Quero muito trabalhar na empresa XXXXXXX, crescer profissionalmente e nela me aposentar! ” ou “ Meu pai se aposentou nessa empresa e eu já vou completar 20 anos de casa! É o melhor lugar para se trabalhar. Se você...

495

Não faz muito tempo, pessoas diziam frases assim:

“ Quero muito trabalhar na empresa XXXXXXX, crescer profissionalmente e nela me aposentar! ”

ou

“ Meu pai se aposentou nessa empresa e eu já vou completar 20 anos de casa! É o melhor lugar para se trabalhar. Se você for dedicado, terá segurança de emprego! ”

Quem tem essa mentalidade nos dia de hoje, provavelmente está morando em outro planeta ou constelação.

A era da cibernética, internet e smartphones promoveu, tem promovido e vai continuar promovendo mudanças radicais, não só nas relações de trabalho e empresarial, como também nas afetivas.

Se você acha que estou exagerando, reflita sobre algumas mudanças que ocorreram nos últimos anos de forma tremendamente rápida:                                                                        

  • A Netflix provocou o fechamento de praticamente todas as locadoras;
  • O Spotify faliu as gravadoras;
  • O Booking complicou a vida comercial das agências de turismo;
  • O Google encerrou a Listel, Páginas Amarelas e as enciclopédias;
  • O Whatsapp está dando dor de cabeça para as operadoras de telefonia celular;
  • As Mídias sociais tiraram público de diversos veículos de comunicação;
  • O Uber afetou o rendimento dos taxistas;
  • O Smartphone acabou com as revelações fotográficas;
  • O e-mail diminuiu sobremaneira o trabalho dos Correios;
  • O Waze fez com que ninguém usasse mais o GPS nos veículos;
  • A Nuvem fez diminuir a venda de Pen drive;
  • O Tinder e similares reduziram o público das baladas e aumentaram a frequência nas cafeterias;
  • O Banco online tem fechado Bancos presenciais.

Tenho absoluta certeza que o leitor concorda com as afirmações acima.

Portanto, cabe a cada um de nós algumas reflexões:

  • Quanto tempo vai durar minha profissão?
  • E o meu emprego, terá futuro?
  • Será que algum aplicativo ou portal pode acabar com meu negócio?

As mesmas dúvidas e incertezas também valem para a esfera sentimental. Novos tempos exigem mudanças e adaptações contínuas. Não existe mais espaço para a palavra comodismo. É preciso se reinventar a todo instante.

O proverbio popular “vamos em frente que atrás vem gente” também está superado. Principalmente para os acomodados de plantão, que não procuraram evoluir profissional e emocionalmente nos últimos anos. Atualmente, o provérbio correto seria:

Vamos em frente, pois tem muita gente na frente.

                                                                                                                                      JORGE LORDELLO                      


Dê sua opinião